Hora certa para uma devassa

Momento atual pode ser histórico para o futebol brasileiro

Por O Dia

Rio - O momento é o melhor possível para que se passe um pente fino no futebol brasileiro que começaria pelos clubes e passaria principalmente pelas federações e CBF. A figura de José Maria Marín está entranhada no futebol paulista e na longa história de falcatruas da entidade. Ele o seu comparsa Marco Polo Del Nero.Todos estavam intimamente ligados à CBF por meio de Havelange e Teixeira e participaram de todos os negócios internos e externos do futebol nas últimas décadas.Romário pode até ser meio oportunista (em tempos recentes, ele elogiou toda essa gente) mas não deixa de estar certo agora ao exigir uma investigação profunda.A Federação do Rio também é um foco de politicagem barata e Rubinho se eterniza no cargo através de troca de favores e de interesses espúrios com ligas e pequenos clubes.O Congresso, em boa hora, está acabando com o mecanismo da reeleição para cargos majoritários- um convite à corrupção –e isso precisa se estender ao futebol brasileiro. Caso contrário, pouca coisa irá mudar.

José Maria Marin foi detido na última quarta-feiraEfe

AINDA DEVAGAR

A simples presença de Jayme de Almeida não serviu para agitar o Flamengo. O time exibiu um pouco mais de vontade, dentro de certa desorganização, mas sem mostrar novidades ou se impor de alguma forma. No fim, tentou segurar o frágil 1 a 0 diante do Náutico e caiu em perigoso empate. Só não foi pior porque haverá muito tempo até o segundo jogo e pode mudar tudo.

FILME VELHO

A forma como o Cruzeiro perdeu para o River Plate e foi eliminado da Libertadores já é bem conhecida do torcedor brasileiro. A garra mostrada em Buenos Aires, a férrea disciplina tática, foi tudo deixado de lado, como se a vantagem fosse impossível de ser perdida. O Cruzeiro avançou a todo risco, concedeu espaços e os argentinos fizeram a festa.

HORA DE FECHAR

O técnico René Simões sente que a hora não é de relaxar e alerta os jogadores sobre a importância de o Botafogo não se afastar das primeiras posições. Caso contrário, pode ficar complicado. Em relação ao último empate, ficou claro que o time foi macio demais e, contra o Vitória, a volta de Pimpão será fundamental, embora a contratação de um artilheiro esteja demorando.

A MÍSTICA DE CAUBY

A vida de Cauby Peixoto, cantor romântico que começou a arrebentar nas paradas nos anos 50, é coisa de cinema. O diretor Nelson Hoineff, excelente documentarista que já nos brindou com belos trabalhos sobre Paulo Francis e Chacrinha, mostra agora a saga de Cauby com carinho e eficiência. Mais um bom representante do documentário brasileiro.

Últimas de Esporte