Joseph Blatter classifica corrupção na Fifa como 'minoria' e cobra punições

Presidente da entidade é candidato no pleito que ocorre nesta sexta-feira, em Zurique, Suíça

Por O Dia

Comando de Joseph Blatter, na Fifa, está sendo investigado pelo FBIReuters

Suíça - Joseph Blatter se manifestou publicamente, nesta quinta-feira, sobre o escândalo de corrupção da Fifa, desencadeado pelo FBI em conjunto com a polícia suíça. Sete membros do alto escalão da entidade foram presos no hotel, na última quarta-feira, em Zurique, incluindo o ex-presidente da CBF, José Maria Marin. O admitiu que há corrupção dentro da entidade, mas que os dirigente infratores são minoria.

UEFA declara seu apoio para o príncipe Ali Bin Al Hussein na eleição da Fifa

"Devo salientar que aqueles que são corruptos no futebol são uma minoria, como na sociedade. Mas, como na sociedade, devem ser pegos. Gostaria de expressar que esses que são culpados pela corrupção no futebol são minoria. E devem ser culpados por suas ações. Faremos de tudo para cooperar com as autoridades. Para descobrir todos os culpados e envolvidos. Não deve haver lugar para corrupção", disse Blatter, na abertura do 65º Congresso da Fifa.

Blatter reconheceu que mais denúncias devem ser reveladas pelo FBI. O atual presidente da Fifa é um dos candidatos do pleito que ocorrerá na próxima sexta-feira, para escolher o próximo presidente da entidade. O príncipe jordaniano Ali Bin Al Hussein é o seu único adversário.

"Os próximos meses não serão fáceis para a Fifa. Outras denúncias podem acontecer. Mas é preciso ser feito para que todos respondam por todos os casos de corrupção. Não só aqui, mas dentro ou fora do campo. O futebol, os fãs, o mundo, todos merecem muito mais", concluiu.

Últimas de Esporte