Jack Warner ameaça fazer revelações sobre a Fifa e diz temer por sua vida

Em pronunciamento na TV de Trinidad e Tobago, ex-vice-presidente da Fifa acusa Blatter de tê-lo destruído e garante que irá colaborar com as investigações sobre o escândalo

Por O Dia

Rio - Ex-presidente da Concacaf e ex-vice-presidente da Fifa, o trinitino Jack Warner diz que teme pela sua vida. O dirigente, que é investigado pela Interpol e pela Justiça dos Estados Unidos pelo escândalo de corrupção da Fifa, declarou em pronunciamento à televisão de Trinidad e Tobago, na noite desta quarta-feira, que irá colaborar com as investigações e falará o que sabe, mesmo com medo de ser morto.

LEIA MAIS: Segundo jornal, Blatter foi diretor de empresa "fantasma" da Fifa em Dublin

"Eu certamente, e com razão, temo por minha vida. Eu coloco meu futuro nas mãos das pessoas. Eu disse a verdade nas minhas declarações. Meus advogados estão fazendo contato com as autoridades, dentro e fora de Trinidad e Tobago, com relação às declarações que eu fiz. Eu me mantive quieto. Eu não vou mais fazer isso", disse Warner, ao canal CCN TV6, prosseguindo: "Peço desculpas por não ter revelado antes o que sabia sobre estes fatos. Nem mesmo o medo da morte vai impedir essa avalanche que está vindo. Não tem volta".

Jack Warner diz que vai colaborar com as investigações sobre a corrupção na FifaDivulgação

Warner aparece na lista do Departamento de Estado americano como um dos envolvidos no escândalo de corrupção. Na semana passada, ele entregou-se à polícia de Trinidad e Tobago e foi liberado após pagar fiança de 400 mil dólares. Segundo revelações do jornal The New York Times, o dirigente teria recebido do secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, propina no valor de US$ 10 milhões.

O escândalo de corrupção na Fifa fez com que o presidente Joseph Blatter entregasse seu cargo na última terça-feira. O suíço, que está na presidência da entidade desde 1998, no entanto, apareceu para trabalhar na quarta. Jack Warner não poupou críticas a Blatter e acusou o mandatário de ser o causador de sua ruína.

"Você não pode dizer que você está renunciando e continuar. Ele causou o meu fim. Eu não causei isso. Blatter sabe por que ele caiu e eu também sei. Eu nunca recebi nenhum suborno da África do Sul", acusou.

Últimas de Esporte