Futuro sócio do Milan diz que Berlusconi continuará no comando do clube

Bee Taechaubol afirma que agora é 'tempo para trabalhar'

Por O Dia

Berlusconi deve permanecer no comando do MilanReuters

Itália - O futuro acionista minoritário do Milan, o tailandês Bee Taechaubol, afirmou em nota à ANSA que sua participação na equipe não mudará o controle do futebol, que continuará nas mãos do presidente italiano, Silvio Berlusconi.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e jogos: os destaques do futebol internacional

"O Milan está sob controle do presidente, que fica não só guiando o Milan, mas também a mim. Continuo a ler em alguns órgãos de informação da Itália matérias que não são verdadeiras.

Atribuem-me uma posição totalmente arbitrária, intenções que estão distantes da minha vontade", ressaltou o "Sr. Bee".

O empresário se referia às matérias publicadas pelos jornais "La Reppublica" e "Gazzetta", que fizeram um perfil forte sobre o futuro sócio da equipe de Milão e que usaram como fonte o empresário Pablo Dana. De acordo com o tailandês, Dana "não me representa e não tem nenhuma autorização para falar em meu nome".

Evitando criar mais polêmica, Taechaubol ressaltou no comunicado que "nestas próximas oito semanas, período de colaboração exclusiva, não darei mais nenhuma entrevista, pois é hora de trabalhar e não de conversar". No dia 5 de junho, a Fininvest - holding da família Berlusconi - emitiu uma nota oficial afirmando que a empresa e Taechaubol iriam discutir um acordo para a venda de 48% das ações do clube italiano.

Durante esses dois meses, haverá uma negociação exclusiva com o tailandês - que pode pagar até 500 milhões de euros pela fatia acionária.

Últimas de Esporte