Indefinição em relação a vaga olímpica irrita Rúben Magnano: 'Atrapalha muito'

Técnico está em São Paulo com parte dos convocados para os Jogos Pan-Americanos de Toronto. Fiba tomará decisão apenas em agosto, durante assembleia da entidade no Japão

Por O Dia

São Paulo - O Brasil é a sede dos próximos Jogos Olímpicos, mas ainda não sabe se suas seleções de basquete terão vaga direta no Rio 2016 ou buscarão a classificação em quadra. O imbróglio tem impacto direto na programação das equipes e só deve ser resolvido em agosto, durante assembleia da Fiba (Federação Internacional de Basquete), no Japão. Enquanto aguarda uma solução, o técnico Rubén Magnano prepara a equipe masculina para o Pan de Toronto, em julho, mas não esconde sua irritação.

LEIA MAIS: Basquete, vôlei, tênis e muito mais: acompanhe os esportes olímpicos

"Não tenha dúvida, atrapalha muito. Muito, muito, muito. Porque uma coisa que ainda não pude definir é qual caminho seguir com certeza. Essa indefinição da Fiba é muito ruim. Iam nos dar uma resposta em 18 de junho, agora passou para agosto, e essa situação se enrola. Isso só prejudica o basquete do Brasil, não deixa a gente trabalhar com uma ideia e uma programação certas. Mas vamos para frente, não vamos ficar esperando nada", afirmou Magnano nesta terça-feira, após treino da seleção brasileira no ginásio do Club Athletico Paulistano.

Rubén Magnano criticou a indefinição da Fiba quanto a vaga olímpica do basquete brasileiro no Rio-2016Efe

Uma dívida é a causa dessa polêmica. Como o Brasil não se classificou ao Mundial de 2014, a Fiba vendeu por US$ 1 milhão uma vaga ao país, que entrou com status de "convidado". No entanto, a CBB (Confederação Brasileira de Basquete) não honrou com os pagamentos, o que irritou os dirigentes da entidade máxima da modalidade. Embora ninguém use essa palavra oficialmente, o que acontece é um tipo de chantagem: ou quita os débitos ou fica sem a vaga direta nos Jogos Olímpicos de 2016, mesmo sendo o país-sede. A situação impacta também na seleção feminina.

Magnano acha que, independentemente de dinheiro, a situação será resolvida com bom senso. "Eu não sou do Financeiro da CBB, não falo sobre dinheiro, meu problema está em quadra, mas pela informação que me passam isso vai ser resolvido."

O certo é que o planejamento das seleções estará estagnado até agosto. O time feminino disputará o Pré-Olímpico do Canadá a partir de 8 de agosto, e periga descobrir se terá a vaga direta ou não com o torneio em andamento. A seleção masculina jogará o Pré-Olímpico do México no fim do mês, saberá da decisão da Fiba antes da competição, mas a indefinição interefe na convocação de Magnano. Se estiver assegurado nos Jogos do Rio, o técnico optará por jogadores jovens. Caso precise garantir a classificação em quadra, terá de levar força máxima.

Parte dos convocados para defender o Brasil no Pan de Toronto já estão treinando em São PauloCBB/Divulgação

Se a situação já estivesse definida, a ideia de Magnano era enviar o assistente José Neto para treinar a equipe nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Como o panorama não mudou, ele vai chefiar a equipe no Canadá.

Magnano convocou 15 atletas para o Pan. Nove deles se apresentaram na segunda-feira e os outros cinco passam a integrar o grupo nesta quarta: Augusto Lima, Olivinha, Rafael Hettsheimeir, Raulzinho e Vitor Benite. Já Larry Taylor só iniciará o trabalho com o grupo no dia 24 de junho, após resolver problemas particulares.

Dos convocados, apenas três estiveram no Mundial da Espanha, em que o Brasil foi eliminado nas quartas de final: Raulzinho, Larry e Rafael Hettsheimeir. No último Pan, em Guadalajara-2011, a seleção masculina fez uma campanha decepcionante e caiu na fase de grupos. "Em 2011 fizemos uma preparação ruim, praticamente nos juntamos dentro do avião. Hoje temos condições de medalha. Temos muitos jogadores novos, mas não inexperientes", avaliou Rubén Magnano.

*Reportagem de Thiago Rocha

Últimas de Esporte