O Vasco só pode melhorar

Clube carioca vive momento complicado no Brasileirão

Por O Dia

Rio - Há um refrão sempre lembrado segundo o qual tudo o que está ruim pode sempre piorar. Mas isso não dá para acontecer com o Vasco, que já parte de tenebrosa fase — na lanterna, com três pontos em 24 disputados. Celso Roth geralmente funciona bem no começo com o seu estilo autoritário, mas logo se desgasta muito. Teve brilharecos no Sul, mas fora de lá não acertou. Léo Moura daria bom caldo, mas o anúncio furado de sua vinda pareceu mais um factoide para amenizar a crise, além do leilão promovido pelo próprio jogador. Ronaldinho seria incógnita — pode ajudar com a sua habilidade ou se perder por acomodação e omissão, como foi na Gávea. A relação custo-benefício preocupa. Na vida real, Andrezinho é bom coadjuvante e Herrera vai dar garra. A tendência é melhorar.

Celso Roth é o novo treinador do VascoPaulo Fernandes/Vasco.com.br/Divulgação

HORA DE SAIR

Por todas as razões foi melhor Neymar bater asas e, mais uma vez, sair da Seleção no meio do caminho. Seja por azar ou por equívocos, ele deixa de ser decisivo em duas competições no prazo de um ano. E só recebeu a punição porque xingou o árbitro e ninguém pode reclamar. Se ficasse no Chile, seria um constrangimento para ele e um peso emocional para o grupo.

BOLA FORA

Dunga é elogiado quase unanimemente pelo bom trabalho em uma seleção estigmatizada pela Copa. Mas no jogo com a Venezuela, depois da boa arrumação inicial, errou feio no segundo tempo, com alterações absurdas e improvisações bizarras. Não precisava recuar e apenas cedeu espaços para a reação. Sua atitude revelou insegurança.

LUTO DE TODOS

Carlinhos não foi apenas uma grande figura do Flamengo como jogador clássico e elegante e treinador vitorioso. Com a sua timidez e simpatia autêntica, é um patrimônio de todo o futebol brasileiro pela competência e principalmente integridade e absoluta seriedade. Ele não era um ‘professor’, apenas um treinador. Todas as homenagens ao inesquecível Violino.

PEDREGULHOS

O Botafogo ainda está bem situado na liderança da Série B: se perdeu dois pontos em casa, ganhou dez fora. Mas René Simões já sente que pode ficar sem jogadores importantes. Há propostas por Arão e Gilberto deve sair. A ineficiência de Bill preocupa e a chegada de Rafael Oliveira pode ajudar. Será uma caminhada cheia de pedregulhos.

Últimas de Esporte