Tradicional time italiano, Parma decreta falência e recomeçará na última divisão

Sem compradores para herdar a dívida do clube, ex-time de Taffarel, Adriano e Amoroso será rebaixado para a Série D

Por O Dia

Itália - Tradicional time italiano, o Parma não resistiu a grave crise financeira que o clube tem passado e decretou falência nesta segunda-feira. Sem compradores interessados em arcar com a dívida da equipe, ela precisará ser rebatizada com outro nome e recomeçará de baixo, na última divisão da Itália. 

O ex-time de Taffarel, Amoroso, Júnior, Alex, Zé Maria e Adriano na Velha Bota, famoso pelos fortes investimentos na década de 90, emitiu um comunicado na manhã desta segunda explicando os motivos para a decisão.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e jogos: os destaques do futebol internacional

"Os administradores do Parma, Dr. Angelo Anedda e Dr. Alberto Guion, comunicaram que até as 14h (do horário local; 9h de Brasília) do dia 22 de junho de 2015, nenhuma oferta foi recebida pelos direitos esportivos do clube", disse o clube, através do comunicado.

Tradicional clube da Itália, o Parma decretou falência e vai recomeçar na última divisãoEfe

Time de pior campanha na última edição do Campeonato Italiano, consequentemente sendo rebaixado para a segunda divisão, o novo Parma terá que jogar, ao que tudo indica, a Série D, maior liga amadora da Velha Bota. Agora, falta resolver as pendências burocráticas.

"Nas próximas horas, os administradores se reunirão com o comitê dos credores e com o juiz do caso, Dr Pietro, Rogato para tomar as medidas necessárias no processo de falência", afirmou.

Giampietro Manenti, presidente dos Crociati, declarou falência em março deste ano e as dívidas totais do clube foram avaliadas em R$ 670 milhões. Dentro desse montante estão os encargos esportivos, que ultrapassam R$ 250 milhões. O clube esperava um investidor para abater a dívida e se livrar do processo de falência que o rebaixaria, mas não teve sucesso.

Em 2004, o clube italiano também passou por situação parecida após a saída da sua principal patrocinadora, a Parmalat, mas conseguiu encontrar um comprador para evitar o fim do clube, que apenas trocou de nome, mas se manteve nas primeiras divisões do futebol italiano.

Além dos brasileiros, o Parma contou com nomes como Buffon, Thuram, Cannavaro, Crespo, Verón e Asprilla. Nos anos áureos, conquistou duas vezes a Copa da Uefa (1995 e 1999), venceu três edições da Copa da Itália (1992, 1999 e 2002) e ficou em segundo lugar no Campeonato Italiano em 1997.

Últimas de Esporte