O festival de besteiras do futebol

Esporte vive momento bem complicado no país

Por O Dia

Rio - Em tempos mais criativos, Sérgio Porto criou o ‘festival de besteiras que assola o país’, o Febeapá, para condensar as bobagens proferidas por figuras públicas. A atual fase do futebol brasileiro propiciaria a Stanislaw Ponte Preta (alcunha de Sérgio) farto material. Os jogadores quase só falam abobrinhas do tipo: ‘vamos trabalhar’ ou ‘ver o que o professor vai dizer.’ Elias teve coragem de dizer que o Brasil não merecia perder para o Paraguai porque teve maior volume de jogo. Thiago Silva garante que não meteu a mão na bola e continua vivendo uma supressão dos sentidos. Após o abominável Vasco x Flamengo, Samir considerou boa a atuação do Fla e lamentou a perda de gols. Técnicos justificam derrotas dizendo que o adversário ‘achou um gol’. Ninguém aguenta mais!

Thiago Silva cometeu erro no duelo com o ParaguaiEfe

INSUPORTÁVEL

Depois da atuação grotesca em Cuiabá, os dirigentes do Flamengo têm que apurar o tipo de vida extracampo que estão levando os jogadores, principalmente Cirino, Everton e Paulinho, ainda mais com a chegada de Sheik. E exigir um mínimo de seriedade profissional de quem ganha milhões. Desse jeito, Guerrero não vai resolver. Muito menos mudar mais uma vez de treinador.

SEM EUFORIA

Seria melhor para a torcida do Vasco comemorar a vitória sobre o arquirrival Flamengo dentro de seus limites reais e estreitos. Ela facilita o início de trabalho de Celso Roth, tira o time da lanterna e leva o torcedor ao delírio. Mas ninguém se iluda: com esse time e esse futebol, as possibilidades de rebaixamento são muito altas. A coisa continua feia.

CRISE CLARA

O Botafogo vive seu pior momento na era René Simões. Em nenhum jogo havia levado quatro gols de adversário modesto com um futebol tão tosco. René mexeu demais na escalação e poucos jogadores estão bem — salvam-se Arão e Pimpão. Bill era dose pra elefante e saiu. Mas, sem ele, quem? O time perdeu o foco e há dirigente que, com exagero ou não, já contesta o treinador.

DIA DE MESSI

Para falar de coisa boa do futebol, vamos lembrar que hoje é dia de Messi, cuja atuação contra a Colômbia foi ótima, apesar do pouco apoio de companheiros em má fase como Agüero, Pastore e Di María. É hora de Tévez. A Argentina deve ganhar e ir à final da Copa América. O Paraguai fez jogo duro na fase anterior, mas não deve resistir a um time superior.

Últimas de Esporte