Por fabio.klotz

Rio - O Bauru vai ter uma experiência dos sonhos: jogar contra times da NBA. Em outubro, terá pela frente o New York Knicks e o Washington Wizards, nos Estados Unidos. Um intercâmbio de ouro e uma oportunidade de aprendizado.

Ricardo Fischer projeta a experiência de enfrentar times da NBALuiz Pires / LNB / Divulgação

“É o sonho de qualquer atleta de basquete, desde criança, jogar na NBA ou contra times da NBA. É onde jogam os melhores do mundo, as referências do esporte, então espero evoluir muito nestas duas partidas. Vou buscar absorver ao máximo as características de jogo dos armadores do Knicks e do Wizards, ver o que posso aprender com eles para evoluir meu jogo e ajudar o Bauru nas competições nacionais. Mas não vou lá só para aprender e, sim, para jogar o meu melhor basquete e procurar fazer o máximo para vencer”, diz Ricardo Fischer.

O armador já pensa no duelo com atletas de sua posição na NBA, como José Calderón, Bradley Beal e John Wall: “São características diferentes. Um jogo de armação mais cadenciado e europeu, com o Calderón, e muita correria com John Wall e Bradley Beal. Mas o mais perigoso desses caras é a precisão. Temos de diminuir o volume deles para ter alguma chance de buscar uma vitória. Se eles ‘se criarem’, fica impossível. Esses três jogadores são fontes de inspiração, com certeza, e claro que também tem o Carmelo Anthony, que é um jogador incrível, e o Nenê, meu compatriota, que são outras referências.”

Você pode gostar