Será que dessa vez vai, Flamengo?

Rubro-Negro tem nova chance de decolar no Brasileirão

Por pedro.logato

Rio - Não teremos casa cheia, mas um bom público no Maracanã para tentar ver uma exibição convincente do Flamengo. Após o empate com o Santos, em casa, e a derrota para a Ponte, fora, tudo é possível. Há certo estresse porque o time está a cinco pontos do Goiás, o primeiro do Z-4, e o Atlético-PR faz boa campanha no Brasileiro. Não vai adiantar muito o Fla acertar três vezes a trave e ter maior domínio de bola se deixar furos na defesa. É uma partida traiçoeira até pela ausência de Guerrero e a incógnita em relação ao desempenho do ataque. Uma coisa é certa: novo tropeço vai complicar a situação de Cristóvão, que sofre oposição interna, embora sua culpa seja relativa. Mesmo assim, o Fla tem mais time, joga em casa e pode se reabilitar com méritos.

Flamengo enfrenta o Atlético-PR no MaracanãMárcio Mercante

INCÓGNITA NO SUL

Esse jogo do Fluminense pode dar tudo: uma vitória tricolor — aproveitando clima de tumulto no Inter com invasão da torcida e desfalques como D’Alessandro — ou, como o futebol é traiçoeiro, isso pode até dar alguma força aos gaúchos que vão pegar um Flu sem Fred e que joga as fichas em Cícero e... aí é que mora o perigo, Wellington Paulista.

INIMIGO INTERNO

O Botafogo, além da campanha cambaleante na Série B e da falta de dinheiro, se prejudica pelas brigas internas com divisão no grupo que detém o poder. Mantuano estava irritado há tempos e seu idealismo se perde no passionalismo. Houve erros no futebol, que mudou de projeto sem plano B. O rio está cheio de crocodilos.

MUITO DIFÍCIL

É possível que o Vasco surpreenda e volte com um bom resultado — até o empate — da Vila. Mas o retrospecto indica o contrário. O Santos, com Dorival Júnior, tem garotos como Lucas Lima, em boa fase, e o artilheiro Ricardo Oliveira. É o favorito contra o Vasco, que briga para fugir do Z-4. Como Jorge Henrique e Nenê não estreiam, o que esperar?

A DIFERENÇA

Se Edmundo jogasse no futebol alemão e fosse responsável por acidente de carro com mortos, estaria até hoje preso. Se Breno fosse incendiário por aqui, com sua condição de craque, jogaria normalmente. Esse é o divisor de águas sobre a Justiça no Brasil e no país dos 7 a 1 e que influi no comportamento do jogador profissional.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia