Blatter diz que Platini o intimidou antes da eleição na Fifa; Francês se defende

Presidente da UEFA disse que o suíço seria preso caso vencesse a eleição na Fifa

Por O Dia

Bélgica - O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, afirmou neste sábado ao jornal holandês "De Volkskrant" que o mandatário da Uefa, Michel Platini, intimidou sua família dizendo que acabaria na prisão caso não renunciasse ao cargo na entidade.

Blatter deu detalhes de uma ameaça feita por PlatiniReuters

Segundo Blatter, Platini teria dito a seu irmão mais velho Peter, de 80 anos, que se não desistisse de permanecer à frente da Fifa, o presidente "iria para a prisão".

Blatter anunciou a renúncia ao cargo quatro dias após ser sido reeleito no fim de maio, após os escândalos de corrupção na Fifa que levaram à prisão de vários dirigentes. O mais alto representante da Fifa relatou ao "De Volkskrant" que no congresso de maio no qual foi reeleito, após o almoço, notou que seu irmão, também presente, "estava chorando".

"Perguntei a ele o que tinha acontecido, e falei: 'Não fique triste, vou ganhar. Não sei com quantos votos, mas vou ganhar essa eleição. Meu irmão não disse nada", explicou na entrevista, acrescentando que só soube o que tinha ocorrido depois das eleições.

Segundo ele, durante esse almoço, Platini se sentou à mesa de seu irmão e disse: "Diga a Sepp (Blatter) que se retire da eleição ou irá para a prisão", contou.

Blatter garantiu que esse episódio não teve a ver com sua decisão de deixar o cargo. O próprio Platini, no comando da Uefa desde 2007, se candidatou no dia 29 de julho à presidência da Fifa no congresso extraordinário da entidade que será realizado em 26 de fevereiro de 2016 em Zurique.

Sobre a renúncia ao cargo após ser reeleito, Blatter preferiu não revelar os motivos que o levaram à decisão.

"Somos todos sobreviventes e tenho certeza de que foi a decisão correta para a Fifa. Foi uma boa solução", apontou, e recusou dar mais detalhes para não prejudicar a investigação em andamento.

Blatter se limitou a falar que tomou a decisão de deixar a presidência para "proteger a instituição e a família dos ataques contra a Fifa", não apenas a si próprio".

Michel Platini rebateu declarações de BlatterEfe

Os Estados Unidos anunciaram no dia 27 de maio uma ampla investigação contra a corrupção no futebol que afeta vários dirigentes da Fifa e que, segundo o Departamento de Justiça americano, envolve a escolha da África do Sul como sede da Copa do Mundo de 2010 e a designação do presidente da Fifa em 2011.

Platini considera "ridículas" acusações

O mandatário da Uefa e candidato à presidência da Fifa, Michel Platini, classificou como "ridículas" as acusações de Joseph Blatter sobre as supostas ameaças feitas ao suíço.

"Essa história inventada é a última de uma série de tentativas de Zurique para distrair o mundo dos problemas reais que a Fifa enfrenta", disseram fontes próximas Platini.

De acordo com as fontes, "o presidente da Uefa não vai dar crédito respondendo a essas acusações ridículas".

"Michel Platini está atualmente mais preocupado na preparação - junto a muitas associações nacionais que o apoiam - de um programa que possa restaurar a imagem e a reputação da Fifa e que possa desenvolver o futebol no mundo inteiro".

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, revelou neste sábado ao jornal holandês "De Volkskrant" que Michel Platini intimidou sua família dizendo que o suíço iria para a prisão caso não desistisse de concorrer às eleições da entidade.

Últimas de Esporte