Profissão R-10: sósia de Ronaldinho fatura alto com a semelhança

Neste domingo, ele estará no Maracanã, mas torcendo contra o Fluminense no duelo com o Atlético-MG, ex-clube do craque

Por fabio.klotz

Rio - Não se assuste se por alguns segundos você olhar para a arquibancada do Maracanã, antes do duelo entre Fluminense e Atlético-MG, e achar que o dono de uma conhecida faixa preta na cabeça, cabelos compridos e sorriso aberto é Ronaldinho Gaúcho. A semelhança de José Robson Batista de Oliveira, 23 anos, com R-10 realmente impressiona. Tanto que virou ofício. Ele vive de fazer comerciais e eventos como sósia de R-10, até mesmo fora do Brasil. Seu trabalho mais recente foi em Joanesburgo, África do Sul.

José Robson Batista de Oliveira fatura alto como sósia de RonaldinhoMárcia Vieira / Agência O Dia

“O carinho é sempre maravilhoso. Na África, onde fiz o comercial, foi incrível. O Ronaldinho é amado no mundo todo”, diz o sósia, que recentemente fez até implante dentário para ter o mesmo sorriso do craque.

Em Belo Horizonte, onde vive, o clone mal consegue andar pelas ruas do Centro, tamanho o assédio. Tanta popularidade o levou a se arriscar na política, na última eleição. Teve 4.999 votos: “Agora vou sair como vereador em Betim (MG), onde vou trabalhar em um projeto com crianças carentes”.

Status de craque%3A nas ruas de Belo Horizonte%2C Robson mal consegue andar%2C tamanho o assédioMárcia Vieira / Agência O Dia

Mas nem sempre o vento esteve a seu favor na vida. Criado na periferia de Maceió, o menino, que sonhava ser ator, mudou de ideia quando um amigo percebeu a semelhança.

“Você tem até os mesmos dentões dele”, dizia um parceiro. Robson levou a sério a dica. Se hoje cobra até R$ 4 mil por evento, no começo o valor era bem mais modesto: R$ 50. Fez tanto sucesso que se mudou para o Rio quando R-10 acertou com o Flamengo. Chegou a faturar até R$ 600 em um bom fim de semana, passando o boné em rodas de samba. Mas tudo mudou quando o craque deixou a Gávea e ele virou "traidor".

Quando R-10 acertou com o Galo, Robson tentou a sorte em Minas. Adotado pela torcida do Atlético, nunca lhe faltou trabalho. Tanto que só veste a camisa do Galo. No único encontro com o ídolo, se emocionou. “Ele me viu e mandou: ‘Você é feio pra c...’. Espero que Ronaldinho não jogue. Ele pode até vestir a camisa do Flu, mas o coração é como o meu, é Galo”, aposta.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia