Por edsel.britto

Estados Unidos - Aos 22 anos, Alisson têm a oportunidade de realizar dois sonhos ao mesmo tempo: Defender a Seleção Brasileira e conhecer o seu ídolo, Taffarel. Por conta da pouca idade, o goleiro não pode ver o camisa 1 campeão mundial em 1994 em campo pelo Internacional, mas sempre ouvia as histórias do seu pai e de seu irmão mais velho sobre a qualidade do arqueiro.

"Ele era o ídolo do meu pai. Do meu irmão também. Eu ouvia aquele nome desde pequeno, sem saber direito quem era, mas aos 9 anos, quando comecei a jogar futebol, comecei a entender a importância dele", disse Alisson, que foi formado e joga no Internacional, mesma escola que formou Taffarel: "Ainda mais por ser da mesma escola, jogar no Internacional, os preparadores de goleiros citavam o Taffarel como exemplo de quem quisesse ser bem-sucedido na posição", concluiu.

Alisson quer aproveitar sua primeira oportunidade na Seleção BrasileiraRafael Ribeiro / CBF / Divulgação

Lançado entre os profissionais no Internacional em 2012 por Dunga, justamente o seu técnico na Seleção, Alisson não esperava ter sucesso e chegar a vestir a camisa verde e amarela tão rápido e confessou estar realizando um sonho ao integrar o elenco.

"Eu estou realizando aqui o sonho de todo garoto que começa a jogar bola. Sempre tive esperança de ser lembrado, a minha vez chegou. Só cabe a mim justificar e continuar fazendo no meu clube por merecer novas convocações", afirmou.

Você pode gostar