Por edsel.britto

Estados Unidos - Rafinha precisou tomar uma decisão fundamental na sua carreira em 2013: Defender a Espanha, na ocasião atual campeã mundial, ou o Brasil. Diferentemente do seu irmão Thiago que optou a seleção europeira, o meia do Barcelona diz não ter exitado em escolher pela camisa verde e amarela. Na época, o jogador foi convocado para Sub-20. Dois anos depois, o jogador tem primeira oportunidade na equipe principal.

"Quando você faz uma escolha de coração, o resultado que vier você fica tranquilo. Escolhi o Brasil porque sempre me senti brasileiro. Foi fácil. Não foi tão fácil para o meu irmão, mas eu sempre quis jogar aqui", afirmou.

Rafinha disse que não teve dificuldades entre escolher a Seleção do Brasil ou da Espanha para defenderLeo Correa / Mowa Press

O meia do Barcelona também aproveitou para revelar que a convocação é um sonho realizado na carreira. Amigo de Neymar, seu companheiro de time, poderia ajudar Rafinha no tradicional trote sofrido pelos calouros na Seleção, mas segundo o jogador não é bem por aí: "É pior ainda ter o Neymar. Ele gasta mais. A felicidade, a parceria. Estou gostando muito de estar aqui", disse.

Polivalente no Barcelona, Rafinha também explicou o seu posicionamento em campo na equipe catalã. Ora atuando pelo meio, ora atuando nas laterais, o jogador teve mais tempo e oportunidades com a chegada de Luis Enrique ao comando da equipe. O meia fez questão de se mostrar grato ao professor que teve na Catalunha.

"Importante poder jogar mais tempo. Aprendi muito com o Xavi, um jogador especial. É muito importante trabalhar para ter mais chances."

Você pode gostar