Dunga não garante Neymar como titular, mas assegura que ele será aproveitado

Treinador da Seleção justifica que camisa 10 foi convocado para trabalhar com o grupo e deve entrar durante as partidas

Por O Dia

Estados Unidos - Treinando durante toda a semana sem Neymar entre os titulares, Dunga admitiu nesta sexta-feira que de fato o Brasil começará a partida contra Porto Rico neste sábado sem o camisa 10 no time. Apesar disso, o treinador garantiu que o craque será aproveitando nos jogos, mas prefere começar testando a equipe que irá a campo nos dois primeiros jogos das eliminatórias para Copa do Mundo de 2018.

"Vamos dar oportunidade a alguns jogadores, fazer um rodízio e lá na frente nós vamos pensar. Trouxemos o Neymar pelo que ele representa. Ele vinha de uma pré-temporada onde ficou 15 dias parado. O Barcelona tem vários jogadores convocados para seleções e ficariam muito poucos atletas. O treino lá não seria adequado. Aqui, ele participaria dos treinos, estaria com os companheiros e reencontraria o melhor condicionamento possível pensando lá na frente. Vamos usar o Neymar. Ele vai ser usado. Nós o trouxemos para ter treino, competitividade, motivação. Mas em se tratando de um jogador competitivo, ele quer jogar. Vamos ter um momento que vamos usar. A forma de usar é que está sendo equacionada.", afirmou.

Dunga não garantiu escalação de Neymar%2C mas afirmou que o camisa 10 será aproveitado nos amistososLeo Correa / Mowa Press

Oficialmente, Dunga não confirmou qual será o time que vai a campo no sábado, mas por conta do último treinamento a provável equipe deve ter: Marcelo Grohe, Danilo, Miranda, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho, Lucas Lima, Douglas Costa e Willian; Hulk. 

Pelas palavras do treinador, Lucas Lima terá sua primeira oportunidade com a camisa verde e amarela e segundo Dunga, o jogador terá total liberadade para atuar, assim como joga no Santos: "Ele vai jogar como joga no Santos. Foi convocado da forma que ele joga em seu clube. Terá liberdade para fazer o que faz no Santos. Estará o mais perto possível da função que ele faz. Terá liberdade com responsabilidade, assim como acontece com todos os jogadores da Seleção."

Últimas de Esporte