Por pedro.logato


Chile - De volta à seleção brasileira após oito anos, Ricardo Oliveira terá pela frente um desafio bem complicado. Na estreia do Brasil nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, da Rússia, o rival será o Chile, atual campeão da Copa América. Apesar do momento irregular da equipe pentacampeã, o artilheiro não vê nenhum favoritismo para os donos da casa.

Ricardo Oliveira mostra confiança no Brasil nas EliminatóriasLeo Correa / MoWA Press / Divulgação

"Será uma partida complicada para ambos. Vamos jogar fora de casa contra essa geração que fez história. Sabemos que isso pesa, assim como a torcida deles, a motivação... Mas o mais importante é que também há campeões desse lado. Vamos iniciar as Eliminatórias e queremos arrancar para um objetivo. No fim, podemos levar o Brasil à Copa do Mundo. Sabemos que teremos dificuldades, mas eles também sabem que temos bons jogadores", afirmou.

Com 35 anos, Ricardo Oliveira ganhou mais uma chance na Seleção devido ao bom momento no Santos. Atualmente, o atacante é o artilheiro do Brasileirão com 17 gols.

"Não vejo pelo lado de precisar convencer o Dunga. Ele conhece o meu potencial. É uma questão de estar preparado, e eu estou. Estou vindo para cá pelo que tenho feito no Santos, pelos gols, pela minha performance, pela minha postura, pela mentalidade vencedora. Não vim pensando que o momento é de aguardar. Se tiver de jogar, vou tentar corresponder. Se tiver de esperar, vou esperar. O importante é saber que faço parte da Seleção. Estou aqui porque me encaixo no perfil desejado. Espero ajudar dentro ou fora de campo. Nosso trabalho, além de coletivo, é um trabalho de amigos", disse.

Dos 23 jogadores em Santiago, apenas seis já disputaram as Eliminatórias. Além de Ricardo Oliveira, Kaká, Marcelo, Filipe Luis, Miranda e Daniel Alves defenderam o Brasil no torneio que garante vaga na Copa do Mundo.

"Esse tipo de competição é completamente diferente. Disputei em 2005 e sentia a diferença quando vinha da Europa. Ninguém será pego de surpresa com o campo, o ambiente e a atmosfera do jogo. Estamos habituados. Se houver disputa, será limpa. Todos vão se doar. Eliminatórias é diferente. Inicia-se aqui uma trajetória, esperamos, vencedora", concluiu.

Você pode gostar