Ex-vice-secretário-geral anuncia candidatura à presidência da Fifa

Jérôme Champagne estará no pleito em fevereiro de 2016

Por O Dia

França - O francês Jérôme Champagne, ex-vice-secretário-geral da Fifa, confirmou nesta sexta-feira que apresentará sua candidatura às eleições presidenciais da entidade, marcadas para o dia 26 de fevereiro de 2015.

"Com determinação e respeito, me apresento mais uma vez como candidato à presidência. Os fatos dos últimos meses renovaram ainda mais minha vontade de ser candidato", afirmou o ex-dirigente, em carta divulgada nas redes sociais.

Jérôme Champagne é candidato à Presidência da FifaReuters

Champagne, que desempenhou várias funções na Fifa entre 1999 e 2010, sempre sob o comando do suíço Joseph Blatter, tentou se candidatar na último pleito organizado pela Fifa, em maio, mas não chegou a formalizar a intenção por não conseguir reunir o apoio necessário de cinco federações.

Quando confirmou sua saída da disputa em fevereiro, o ex-dirigente denunciou a atitude da Uefa e disse que tinha perdido apoios porque "as instituições tinham se mobilizado para eliminar o único candidato independente".

À espera do fechamento do prazo para a apresentação de candidaturas, que se encerra na próxima segunda-feira, confirmaram que concorrerão ao pleito o francês Michel Platini, presidente da Uefa e que está suspenso pela Fifa por 90 dias, o príncipe jordaniano Ali Bin al Hussein, ex-vice-presidente da entidade, e o ex-capitão da seleção de Trinidad e Tobago, David Nakhid.

O ex-jogador Zico é outro que pretende disputar as eleições da Fifa, mas ainda não conseguiu reunir os cinco respaldos necessários para formalizar sua candidatura.

Platini está aguardando que o Comitê de Apelação analise seu recurso contra a sanção temporária imposta pelo Comitê Disciplinar da Fifa.

Enquanto isso, a própria entidade máxima do futebol e a Justiça da Suíça investigam o pagamento de 2 milhões de francos-suíços feitos por Blatter, também punido, ao líder da Uefa.

Al Hussein, presidente da Federação Jordaniana de Futebol, foi o único rival de Blatter nas eleições que foram realizadas no final de maio. Ele se retirou depois do primeiro turno de votação.

O dirigente suíço foi reeleito para um quinto mandato, apesar de ter renunciado dias depois após a prisão de vários ex-dirigentes da Fifa envolvidos em um grande escândalo de corrupção.

Últimas de Esporte