O cara do tênis de mesa

Agora treinador da equipe feminina do Brasil, Hugo Hoyama passa toda sua experiência como atleta em seis Olimpíadas

Por O Dia

Rio - Ainda faltava mais de uma hora para começarem os jogos do período da tarde do evento-teste do tênis de mesa no Riocentro. Hugo Hoyama conversava com a organização, preocupado com o ar-condicionado, que pingava. Ele ainda observava o decalque do patrocinador que era colado no piso onde uma das jogadoras da Seleção atuaria. Agora fora da mesa, como treinador, Hoyama não esquece os detalhes que o fizeram o maior mesatenista da história do Brasil.

Em 2012, ele assumiu a Seleção feminina e os resultados têm superado as expectativas. O time, hoje formado pela chinesa naturalizada brasileira Lin Gui, Jéssica Yamada, Lígia Silva e Caroline Kumahara, conseguiu o inédito título mundial da Segunda Divisão, além de duas pratas e um bronze nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, este ano.

O novo treinador vem agradando: “O que ajudou foi a experiência dele como jogador. Cada vez que entrávamos no jogo, ele enxergava o que acontecia. Tem ótima visão do jogo. Quando tem virada de set ou tempo, ele dá dicas e estratégias que realmente funcionam. Ele entende como a gente se sente”, explicou Jéssica Yamada.

Hugo Hoyama tenta passar sua experiência de ter participado de seis OlimpíadasDivulgação

Mesmo com o sucesso imediato, Hugo garante que ser treinador jamais tinha passado por sua cabeça. “Nunca tinha pensado. Não mesmo. O convite surgiu um pouco antes da Olimpíada de Londres. Eu já tinha me classificado para jogar. Pediram que eu pensasse sobre ser treinador das meninas. Fiz um trabalho de ‘coach’ com o Antônio Carlos Moreno, do COB, e ele me deu alguns caminhos. Achei que iria ser bom continuar ajudando o tênis de mesa como técnico. Deu certo. Está sendo muito legal”, contou Hugo, que não é linha-dura.

“O meu estilo depende bastante de cada atleta. Sei que trabalhar com mulher exige mais cuidado na parte sentimental. Tem jogadora com as quais posso ser mais firme, tem algumas que preciso conversar mais”, afirmou o treinador, que tem 46 anos de idade, 39 deles dedicados ao esporte.

SUCESSOR É OUTRO HUGO

Após a Olimpíada de 2012, um novo Hugo surgiu no tênis de mesa. Calderano vem conseguindo bons resultados, como o ouro no Pan. Aos 19 anos, jogando pela Liga Alemã, ele derrotou Timo Boll, uma das lendas do esporte.

“Ele tem um talento natural para o esporte, não só para o tênis de mesa. Hoje temos esse bom contato na Europa com o Jean René (técnico da Seleção masculina), que o levou para Alemanha. Ele só tem chance de ganhar desses caras porque está treinando com eles. Já começou a fazer história para o tênis de mesa brasileiro”, avisa Hugo Hoyama. Palavra de craque.

Últimas de Esporte