Em nota, Del Nero se afasta da CBF para se defender de acusações da Fifa

Atual presidente da Confederação é acusado de envolvimento em diversas infrações do Código da Ética da organização

Por O Dia

Rio - No mesmo dia em que a o Comitê de Ética da Fifa divulgou que o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, está sendo investigado pela entidade, o brasileiro pediu licença de seis meses do cargo que ocupa na Confederação de Futebol. Em nota oficial, Del Nero afirmou que o afastamento será para que ele execute a sua defesa. Em seu lugar, assume de forma provisória, o vice-presidente, Marcus Antônio Vicente.

Del Nero pediu afastamento da CBFDivulgação

Denúncias da Fifa

A Câmara de Investigação do Comitê de Ética da entidade confirmou que Marco Polo Del Nero está sendo investigado por um possível envolvimento em diversas infrações do Código da Ética da organização. O processo foi aberto no último dia 23.

O mesmo ocorreu com Joseph Blatter, Michel Platini e o ex-secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke - os três estão suspensos de qualquer atividade no futebol por 90 dias. Caso as infrações sejam comprovadas e Del Nero pegue pena semelhante à dos três, o dirigente pode acabar tendo de deixar a presidência da CBF, assim como aconteceu com Platini na Uefa.

Desde que o escândalo envolvendo dirigentes da Fifa e de diversas confederações estourou, em maio deste ano, Del Nero não viajou para fora do Brasil. O presidente deixou de participar de diversas reuniões do Comitê Executivo da Fifa e acabou sendo substituído na entidade pelo vice-presidente da CBF Fernando Sarney.

Confira a nota oficial da CBF:

"A Confederação Brasileira de Futebol vem a público informar, face às noticias veiculadas nesta data, que o Presidente Marco Polo Del Nero apresentou pedido de licença do cargo com a finalidade de dedicar-se à sua defesa, em vista de ter seu nome mencionado em acusações relatadas pela Justiça norte-americana e pelo Comitê de Ética da FIFA.

m nenhum dos procedimentos relatados foi conferida ciência ao Presidente do conteúdo das acusações, sendo certa sua absoluta convicção da comprovação de sua inocência, tão logo possa exercer os consagrados e constitucionais direitos ao contraditório e à ampla defesa.

Neste período de licença, o Presidente, em cumprimento às suas atribuições estatutárias, designa, interinamente, para o exercício da Presidência da CBF o Vice-Presidente Marcus Antônio Vicente."

Últimas de Esporte