Oscar Pistorius paga fiança, deixa a prisão e recorrerá de condenação

Ele vai aguardar em liberdade a sentença que terá de cumprir

Por O Dia

África do Sul - O velocista sul-africano Oscar Pistorius, condenado na última quinta-feira pelo assassinato de sua namorada, Reeva Steenkamp, pagou uma fiança de 600 euros (cerca de R$ 2,5 mil) e aguardará em liberdade até a Justiça determinar, em abril do próximo ano, a pena que ele deverá cumprir pelo crime. A decisão foi tomada pelo juiz Aubrey Ledwaba, do Tribunal Superior de Pretória, que aceitou nesta terça-feira o pedido de fiança apresentado pela defesa de Pistorius.

Oscar Pistorius foi condenado pelo assassinato da namorada%2C Reeva SteenkampEfe

A Promotoria não se opôs à saída do atleta da prisão por não acreditar haver risco de fuga. O velocista ficará na mansão de seu tio Arnold, em Pretória, onde cumpria prisão domiciliar atualmente, até que sua nova pena seja determinada. Ele só poderá sair para locais que fiquem em um raio máximo de 20 quilômetros da residência entre às 7h e 12h, determinou o juiz.

O advogado do atleta, Barry Roux, anunciou durante a audiência realizada nesta terça-feira que seu cliente vai recorrer ao Tribunal Constitucional contra a condenação pelo assassinato de sua namorada, crime pelo qual pode ficar no mínimo 15 anos preso. Na quinta-feira, Pistorius foi considerado culpado pela morte da namorada pela Corte Suprema de Apelação, que revogou a pena de cinco anos de prisão por homicídio, estabelecida em outubro do ano passado pelo Tribunal Superior, ao detectar vários erros no veredito.

Na sentença cancelada pela Corte Suprema de Apelação, a juíza Thokozile Masipa aceitou a versão dos fatos do acusado. Pistorius alega que atirou em pânico ao confundir sua namorada com um ladrão, avaliando que o velocista não teve a intenção de matá-la. No entanto, o promotor do caso, Gerrie Nel, apresentou no início de novembro um recurso para contestar a decisão e pedir que Pistorius fosse condenado por homicídio doloso - quando há intenção de matar -, afirmando que Masipa errou em sua decisão.

A Corte Suprema de Apelação deu razão ao promotor e concluiu que Pistorius quis matar a namorada. Após passar quase um ano atrás das grades, Pistorius saiu da prisão por bom comportamento no último dia 20 de outubro, para seguir cumprindo a pena - agora cancelada - na mansão de seu tio. Pistorius, que teve as duas pernas amputadas quando tinha 11 meses por causa de um problema genético, é multicampeão paralímpico e se transformou em 2012, em Londres, no primeiro atleta a também disputar a Olimpíada. O velocista era um ícone mundial de coragem e superação no esporte até matar sua namorada na madrugada do dia 14 de fevereiro de 2013 em sua casa em Pretória.

Últimas de Esporte