Por victor.abreu
Michel Platini não irá ao encontro com o Comitê de Ética da FifaEfe

França - O dirigente francês Michel Platini anunciou que não se apresentará ao Comitê de Ética da Fifa para apresentar sua defesa na próxima sexta-feira (18).

Segundo seus advogados divulgaram nesta quarta-feira (16), "o veredicto já foi anunciado à metade da imprensa" e sua ausência é uma forma de protesto contra os "prejuízos" à sua imagem e à corrida presidencial da Fifa.

A nota dos representantes legais informa que o francês está "profundamente indignado" por aquilo que considera "um processo exclusivamente político com o objetivo de impedir minha candidatura à Presidência".

A decisão de Platini de não se apresentar perante aos juízes foi divulgada quase duas horas depois o Comitê de Ética prometer que haveria "um processo justo", mesmo que ele boicotasse a audiência.

"Queremos destacar claramente que a câmara arbitral do Comitê de Ética analisará esse caso como faz em qualquer outro caso, seguindo um procedimento independente e imparcial", informaram em nota os magistrados.

Segundo a mídia internacional, Platini pode pegar - no mínimo - sete anos de suspensão do futebol e corre o risco de ser banido para sempre do esporte. Ele é acusado de receber 2 milhões de francos suíços em 2011 do presidente suspenso da entidade, Joseph Blatter, por supostos trabalhos efetuados entre os anos de 1999 e 2002. Para a acusação, esse dinheiro seria uma propina para eleições de sedes de Copas do Mundo.

O veredicto tanto para Blatter como para Platini deve sair até a próxima terça-feira (22). Os dois poderão recorrer, em caso de sanções, à Comissão de Apelo da Fifa e até ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS). Os cartolas foram suspensos preventivamente pela Fifa por 90 dias, pena que encerrará no próximo dia 5 de janeiro.

Você pode gostar