Blatter diz que 'evidências' provarão inocência para o Comitê de Ética

Suspenso pela Fifa por 90 dias, Joseph garante que escapará de qualquer punição

Por O Dia

Suíça - O suíço Joseph Blatter, suspenso da presidência da Fifa, voltou nesta quinta-feira a pisar na sede da entidade, para sessão do Comitê de Ética, e garantiu que escapará de qualquer punição, pelas "evidências" que apresentou. O dirigente, que foi afastado de qualquer função ligada ao futebol em 7 de outubro por 90 dias, falou por cerca de oito horas para quatro juízes do órgão.

O motivo da pena seria um pagamento suspeito feito ao francês Michel Platini, que também está suspenso, em 2011, por serviços realizados entre 1999 e 2002.

"O presidente Blatter compareceu hoje, junto a seu advogado Lorenz Erni, diante da Câmara de Resolução do Comitê de Ética, para apresentar sua defesa diante das acusações", apontou nota divulgada pelo escritório que defende o suíço.

Joseph Blatter renuncia ao cargo de presidente da FifaEfe

Ainda na nota, que não dá detalhes sobre o que foi dito por Blatter, se demonstra otimismo quanto a decisão do Comitê de Ética, que deverá ser anunciada amanhã.

"As evidências assim solicitam. Elas demonstram que o presidente Blatter se comportou adequadamente e não violou o Código de Ética. A investigação deveria ser encerrada e a suspensão levantada", garante a defesa.

O presidente suspenso da Fifa comparecerá amanhã outra vez à sede da Fifa para ouvir a sentença, que também definirá o futuro de Platini. O dirigente francês, por sua vez, não se apresentou à audiência, enviando apenas seus advogados.

Últimas de Esporte