Savio, a história do Anjo Louro do Fla

Ex-jogador lança biografia e relembra carreira marcada por dribles desconcertantes e gols pelo Flamengo e Real Madrid

Por O Dia

Savio relembra a carreira em biografiaDivulgação

Rio - Os dribles desconcertantes, a leveza dos pés e a velocidade das jogadas endiabradas chamaram logo a atenção: surgia um novo craque feito no Flamengo. O físico franzino do menino capixaba Savio e sua enorme habilidade com a bola logo fizeram a torcida vê-lo como novo Zico, o messias que faria do Fla uma nova máquina de títulos. Mas o locutor Januário de Oliveira logo o batizou Diabo Louro. Mas a avó, Dona Nair, não gostou, e pediu a Januário que mudasse o apelido. Sávio se tornou para sempre o Anjo Louro da Gávea. Está tudo no recém-lançado livro do autor Renan Koerich, na biografia ‘Savio, dribles certeiros de uma carreira de sucesso’.

Na publicação, o ídolo do Flamengo resgata história desde o início da carreira, no Espírito Santo, as conquistas de três Ligas dos Campeões, jogando pelo Real Madrid, e sua nova vida de empresário. Savio lembra seu momento mais duro na carreira, quando ainda era juvenil do Flamengo. Um problema no coração foi constatado e, por dois meses, viveu o medo de não realizar o sonho de infância. Após encerrar carreira no Avaí, Sávio se especializou e tornou-se empresário de futebol.

Obra resgata histórias de Savio%3A problema no coração quase impediu o sonho de ser jogadorDivulgação

CENTENÁRIO DO FLA, 1995

“Dentro do furacão de expectativas chamado Flamengo, em 1995, Savio sente o investimento pesado na equipe na busca por um título de expressão... No Campeonato Carioca, o time arranca com boas atuações e, principalmente, gols da dupla Savio e Romário. Em jogo único, dia 23 de março, o Maracanã recebe mais de 50 mil pessoas. O Fla abre 2 a 0 sobre o Botafogo antes dos 30 minutos. O jogo terminou 3 a 2 para o Flamengo”.

Savio fez 133 gols com a camisa do FlamengoArquivo O Dia

A DOR DO GOL DE BARRIGA

“Havia um certo clima de favoritismo para o Flamengo. Ainda mais pela vantagem do empate. Atento, Renato Gaúcho abre o placar. Leonardo enche o pé para o fundo da rede: 2 a 0 Flu. Na volta, o Flamengo se lança ao gol... O goleiro Wélerson estava 682 minutos sem levar gols e o Fla precisava de dois em 45 minutos... Depois de confusão na entrada da área, Romário ganha na velocidade e bate de perna esquerda, aos 26... Seis minutos mais tarde, o que parecia impossível acontece. Fabinho bate com raiva e categoria no canto de Wélerson, aos 32 minutos... Mas no meio do caminho tinha uma barriga... Aos 42 minutos, a bola tocou ou explodiu na barriga de Renato Gaúcho para morrer no fundo da rede... A derrota abateu Sávio. Era como se alguém da família tivesse morrido. Luto.”

PIOR ATAQUE DO MUNDO

“Edmundo, companheiro de Savio na Seleção, durante a copa América, agora chega ao clube para formar o melhor ataque do mundo, junto de Romário... O ambiente da Gávea fica pesado. Num amistoso no Japão, irritados com o placar negativo, 3 a 0 para o Kashima Reysol, Savio e Romário discutiram e trocaram empurrões. A notícia correu e chegou até Zico. Incomodado com o ambiente interno, o Galinho passou a mão no telefone e fez questão de conversar com o presidente Kléber Leite, que explicou que a discussão era apenas ‘algo de jogo’. O Flamengo era uma verdadeira panela de pressão. Além disso, o ego e a personalidade forte de alguns jogadores tumultuaram ainda mais o ambiente interno. As declarações de Edmundo sobre a defesa ou então as de Romário, criticando o time, criaram grupos distintos na equipe.”

DESPEDIDA DO FLA-REAL MADRID

Savio ganhou três Ligas dos Campeões com o Real MadridReuters

“Ao longo do período profissional, até o dia 3 de dezembro de 1997, foram 255 jogos e 133 gols pelo Flamengo... A decisão de ir para o Real Madrid mudou tudo para o casal Savio, prestes a completar 24 anos, e Suzana, 19... Ao chegar à capital espanhola, Savio é cercado por um batalhão de jornalistas... Naquela sábado, 10 de janeiro, o placar aponta 0 a 0 contra o Atlético de Madrid... Savio assume a posição de Guti. Com menos de sete minutos em campo, a boa trama entre Seedorf e Roberto Carlos deixa a bola na medida para Savio fazer seu primeiro gol com a camisa do Real.”

Últimas de Esporte