Suárez joga por três, Barcelona bate o Guangzhou e vai à final do Mundial

Sem Neymar e Messi, uruguaio comanda vitória no Japão

Por O Dia

Japão - Luis Suárez "jogou por três" para compensar a ausência de Neymar e Messi. Sob a batuta do uruguaio, o Barcelona venceu nesta quinta-feira o Guangzhou Evergrande por 3 a 0 e garantiu lugar na final do Campeonato Mundial de Clubes da Fifa, em que enfrentará o River Plate. Com o brasileiro lesionado e o argentino com crise renal, o camisa 9 do campeão da Liga dos Campeões da Europa foi a grande atração e não decepcionou, marcando aos 39 minutos do primeiro tempo, e depois do intervalo aos 5 e aos 22. O terceiro gol de Luisito foi de pênalti e o colocou na artilharia isolada do torneio.

Suárez marcou três vezes na vitória do BarcelonaEfe

A equipe catalã vai em busca do terceiro título - o primeiro foi em 2006 e o segundo foi em 2009 - neste domingo, às 8h30 (horário de Brasília). O adversário será o River Plate, que na quarta-feira passou pelo Sanfrecce Hiroshima por magro 1 a 0.

A legião brasileira do Guangzhou Evergrande, por sua vez, apareceu muito pouco na partida. O volante Paulinho foi o homem mais perigoso, quase acertando o gol em cabeçada na etapa inicial. Elkeson também teve oportunidade de marcar quando a vantagem era mínima, mas parou em defesa do chileno Claudio Bravo. Dois anos atrás, na primeira participação no Mundial, o time chinês caiu nas semifinais pelo mesmo placar, mas diante do Bayern de Munique. Agora, o campeão da Liga dos Campeões da Ásia enfrentará o representante japonês no Mundial, no mesmo dia, a partir das 5h (também de Brasília). Caso vença, o time de Scolari superará a campanha de 2013, quando ficou na quarta colocação, após derrota para o Atlético Mineiro por 3 a 2.

Para a partida em Yokohama, já sem o lesionado Neymar, o Barça também perdeu Messi, que passou a noite com cólica renal e acabou vetado. Com isso, os jovens Munir e Sandro Ramírez ganharam oportunidade entre os titulares. Daniel Alves também começou jogando, enquanto Adriano ficou na reserva e só entrou na etapa final. Na equipe chinesa, Luiz Felipe Scolari tirou Robinho do time, para reforçar o meio com Long Zheng. Herói da vitória sobre o América nas quartas de final, Paulinho começou jogando, assim como Ricardo Goulart e Elkeson. O ex-Santos ficou os 90 minutos no banco, assim como o atacante Alan.

Mesmo sem duas das referências ofensivas, o Barça partiu para impor seu ritmo de jogo desde o apito inicial, com toques rápidos e muita movimentação, para tentar superar a forte marcação da equipe chinesa, que tinha como grande arma os contra-ataques. As chances de gol, no entanto, demoraram a aparecer. Aos 23, Iniesta fez lançamento espetacular para Munir, que acelerou, mas só conseguiu tocar na bola quando o goleiro Shuai já estava nos seus pés, para bloquear a finalização. A mesma conexão ofensiva voltou a acontecer aos 31 minutos, quando o experiente meia se livrou bem da marcação e cruzou da esquerda, mas o jovem atacante, apesar de ter subido praticamente sozinho, cabeceou mal, à esquerda do gol.

No minuto seguinte, o lateral-esquerdo Zou Zheng disputou bola com Daniel Alves e escorregou depois de empurrado, acabou caindo e fraturando a perna. Todos os jogadores que estavam próximos ao lance se desesperaram com a visível gravidade da lesão. O chinês foi substituído por Xuepeng. Mesmo sem fazer grande exibição, o Barça conseguiu abrir o placar aos 39 minutos do primeiro tempo, quando Rakitic arriscou chute de fora da área, o goleiro Shuai deu rebote e, na sobra, Luis Suárez fuzilou para o fundo da rede.

O Guangzhou, até então muito encolhido, deu dois sustos antes do intervalo, primeiro com Elkeson, no minuto seguinte ao gol rival, que obrigou Bravo a fazer ótima defesa, e depois com Paulinho, de cabeça, em lance que a zaga cortou.

Na volta para o segundo tempo, o Barça tratou de matar o jogo logo aos 5 minutos, em bela trama coletiva. Suárez passou para Iniesta, devolveu de maneira brilhate, por elevação, para o companheiro, que só precisou dar um leve toque para tirar Shuai da jogada e fazer 2 a 0. A folga da vantagem não fez com que o campeão europeu se acomodasse. Aos 10, Iniesta tentou chute de fora da área, em bola que passou perto do travessão defendido pelo goleiro adversário. A partir daí, os comandados de Luis Enrique jogaram mais para dar espetáculo. Aos 21, Daniel Alves serviu Munir, que caiu na área, em lance que o árbitro salvadorenho Joel Aguilar entendeu como pênalti. Na cobrança, Suárez encheu o pé, batendo à direita de Shuai e completou seu 'hat-trick'.

Com ritmo moderado, o Barça ainda ficou perto do gol aos 30, quando Rakitic lançou Munir, que tabelou com Iniesta, mas, na hora de definir, voltou a ser bloqueado por Shuai, que foi rápido ao sair da meta. Aos 37, Sandro recebeu na direita e também tentou guardar o seu, finalizando à esquerda do gol.

Últimas de Esporte