Cristiano Ronaldo desdenha da amizade do trio de atacantes do Barcelona

'Os jantares fora, os abracinhos e beijinhos, não valem de nada. O importante é fazer o time ganhar', diz o português

Por O Dia

Espanha - O atacante português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, garantiu nesta terça-feira que não precisa ser amigo de qualquer companheiro de equipe para que os resultados sejam conquistados em uma temporada.

Amizade? Cristiano Ronaldo quer é saber de títulosEfe

"No Manchester (United), ganhei a Liga dos Campeões e não falava com Scholes, Giggs, nem com Ferdinand. Chegávamos dentro do campo, tínhamos um time fantástico, mas só nos dávamos bom dia", afirmou o camisa 7, em entrevista coletiva concedida em Roma, na véspera de jogo justamente da Liga dos Campeões da Europa.

A afirmação foi uma resposta à pergunta de jornalista sobre se havia mais amizade no chamado trio "MSN", formado por Lionel Messi, Luis Suárez e Neymar, ou no "BBC", que ele compõe com Gareth Bale e Karim Benzema.

"Não tenho que jantar com Benzema ou Bale em minha casa. O mais importante é dentro do campo, que sejamos bons companheiros, sabendo como jogamos. Os jantares fora, os abracinhos e beijinhos, não valem de nada. O importante é fazer o time ganhar", garantiu o português.

Sobre o pênalti cobrado por Lionel Messi, que virou assistência para gol de Suárez na goleada sobre o Celta de Vigo por 6 a 1, pelo Campeonato Espanhol, CR7 foi enigmático.

"Eu sei por que Leo fez isso, mas não vou dizer. Pense o que quiser", disparou.

A imprensa espanhol tem apontado o holandês Johan Cruyff, que se recupera de um câncer no pulmão, como "homenageado" no lance, já que fez algo semelhante em partida do Ajax, pelo Campeonato Holandês, em 1982.

Últimas de Esporte