Por pedro.logato

Rio - No país das falcatruas, a fiscalização à pesca não falha somente dentro d’água. Em terra, na comercialização do pescado, as fraudes correm soltas. Vejam só flagrante acima do pescador esportivo e empresário, Fernandinho Pesca. Foi em uma feira livre de Vista Alegre, subúrbio do Rio, no último domingo. Na maior cara de pau, feirantes vendiam guaivira como pampo e batata como badejo. Pode isso, Arnaldo? E ninguém vai preso.

Fernandinho é pescador esportivo e empresárioReprodução Internet

BLOCO DAS PIRANHAS

Do cinema para a vida real, ataques de piranhas brancas levou pânico a banhistas no Carnaval em Alagoas. Vinte e cinco pessoas foram mordidas por piranhas da espécie Serrasalmus brandti. Os ataques foram na localidade conhecida como Prainha, bacia do Rio São Francisco, no município de Pão de Açúcar. Mas antes de querer demonizar os peixinhos vorazes, a ambientalista Glória Miranda adverte: “As pessoas tomam banho em um trecho onde ocorre a piracema (reprodução). Com isso, o homem invade o habitat e o peixe reage.”

Maicon Soares tentou sair bem na fotoReprodução Internet

CAMPEÃO MUNDIAL FATURA O ‘MAIOR ROBALO’

Bem que Maicon Soares tentou sair bem na foto. Mas ao erguer o flechão que fisgou, de 117,5 cm, ficou quase que escondido. Mas valeu. Detentor do recorde mundial da IGFA do robalo, com o peixão Maicon, de São Paulo, foi o campeão da 2ª edição do ‘Maior Robalo do Brasil’. Pesque solte teve a participação de pescadores esportivos de todo o país. No Rio, primeiro lugar foi de Gustavo Campos, com exemplar de 109 cm.

Emerson Elias%3A piraúna%2C isca de camarão vivo%2C MangaratibaReprodução Internet
Reginaldo Luna%3A olho-de-cão%2C isca de lula%2C pesca oceânicaReprodução Internet
Alexandre Silveira%3A pampo%2C isca artificial%2C ItacuruçáReprodução Internet
Neivaldo Soares e Julio Lima%3A sargos%2C isca artificial%2C Itacuruçá.Reprodução Internet

SARDINHA LIBERADA

Com o fim do defeso dia 15, isca natural mais usada na pesca volta a ser liberada.

DICAS DE PEIXES

De Mestre Canarinho:

(99953-8100), as iscas são sardinha, camarão e lula: Quebra Mar da Barra — carapicu-bandeira, corvina, xerelete e papa-terra; Cagarras — marimbá, pescadinha, parguinho e xerelete; Gragoata/Boa Viagem — corvina, papa-terra e guaivira; Ilhas Pai e Mãe — pescadinha, olho-de-cão, corvina e xerelete.

De Carlinhos Piraúna:

Arpoador — robalos (madrugada), pampos de manhã cedo eolho-de-cão (noite) ; Diabo — galhudo e pampo; Leme — peixe-porco, xerelete e baiacu-arara (dia) e espada (noite); Praia Vermelha — lula e olho-de-cão (noite); Pista —olho-de-cão e marimbá; Muro da Urca — carapicus.

De Gilberto Ohoishi: (22)- 99839-6442: em Arraial do Cabo, na Praia Grande — tira-e-vira, corvina, pargo e lanceta; Ponta do Focinho — maria-mole, castanha, lanceta e goete; largo da Ilha do Farol —pargo, olho-de-cão, peroá e xerelete; largo da Pedra Vermelha — peroá e cavalinha; boca da Prainha — maria-mole e castanha.

Você pode gostar