Pérolas Negras, do Haiti, disputará o Campeonato Carioca Sub-20

Equipe firma parceria com o Audax e a ONG Viva Rio

Por O Dia

Rio - As joias haitianas estão na vitrine do futebol carioca. Em parceria com a ONG Viva Rio e o Audax, a equipe Pérolas Negras disputará o Estadual Sub-20, que começa no dia 12. A intenção é valorizar o brilho dos meninos, dando-lhes a oportunidade de realizar o sonho de ser jogador profissional. Um pequeno alento, mas que é visto como uma verdadeira preciosidade para quem deixou para trás a vida no país mais pobre das Américas, devastado por um terremoto em 2010.

Pérolas Negras será uma das atrações do Carioca Sub-20Vitor Madeira / Viva Rio

“A equipe será formada na maioria por haitianos, mesclada com brasileiros. Temos a chance de mostrar que o Haiti não vive só de tragédias. Essa parceria vem para coroar um trabalho de cinco anos. Somos movidos a desafios”, disse o treinador Rafael Novaes.

Clube que revelou jogadores como Vitinho, Hyuri (ambos ex-Botafogo) e Samir (ex-Flamengo), o Audax aprovou o desempenho dos Pérolas Negras na Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano e não teve dúvidas em viabilizar o convênio.

O projeto social teve início em 2011, em Porto Príncipe, capital do Haiti. Juntamente com o Viva Rio, foi erguido um CT em Paty do Alferes, na Região Serrana do Rio, que abriga os jovens jogadores. Entre eles, um nome que chama a atenção, evidenciando a paixão que os haitianos têm pela camisa Amarelinha. Aos 19 anos, Bebeto, que mostra habilidade como volante, conta que foi batizado dessa maneira porque seu pai é fã do futebol brasileiro e se encantou com o gesto "embala neném" que o atacante tornou famoso na Copa de 1994, nos Estados Unidos, na campanha do tetra.

“Meu pai torce pelo Brasil e gostava da forma que o Bebeto jogava. O estilo de jogo dele encantou meu pai, um fã incondicional do futebol brasileiro”, disse, com um português carregado no sotaque francês, o tímido jogador haitiano, que já vestiu a camisa das seleções sub-20 e sub-23 de seu país.

“Como todo haitiano, sempre sonhei jogar no Brasil. Aqui estão os melhores do mundo”, garante, com um largo sorriso.

Últimas de Esporte