Carioca tem 137 recordes mundiais de pesca

Aos 76 anos, o Dr. Gilberto Fernandes prefere a selva

Por O Dia

Rio - Assim como Pelé está para o futebol, ele está para a pesca esportiva. Mas pouquíssimas pessoas tiveram o privilégio de conviver com ele, tampouco conhecer as suas façanhas. E coloca proeza nisso. Aos 76 anos, o Dr. Gilberto Fernandes é detentor de nada mais, nada menos do que 137 recordes mundiais na Associação Internacional de Pesca Esportiva (IGFA, na sigla em inglês). Mas, ao contrário do rei da bola, nosso exímio pescador não ganha muito espaço na mídia. Coisa que esta humilde coluna tenta reparar hoje.

Ainda ‘garoto’%2C Dr. Gilberto posa%2C em 1983%2C com seu primeiro recorde%2C uma piraíba Reprodução Internet

Mas Gilberto admite em parte a falta de fama por culpa dele mesmo. “Tenho dois doutorados, escrevi cinco livros, faço palestras em vários estados, mas a pesca é um momento só meu. Pesco esportivamente só para mim”, disse em conversa por telefone ao colunista. Médico e carioca, ex-campeão de pesca pelo Clube Pampo, de Jaconé, há 37 anos, Dr. Gilberto trocou a agitação e praias do Rio de Janeiro pelo verde e tranquilidade da selva amazônica, em Manaus. Mas nunca deixou de pescar. Ao contrário, ao perceber que muitas das espécies amazônicas eram desconhecidas, aliou o esporte ao trabalho de catalogar cada uma delas no livro de recordes.

No ano passado com o troféu top (anzol azul gigante) da IGFAReprodução Internet

“Fiquei pasmado ao constatar que, embora tivéssemos a maior ictiofauna fluvial (conjunto de espécies numa região) do mundo, somente três peixes daqui estavam listados no livro de recordes: aruanã, pirarucu e tucunaré”, lembrou o médico-pescador. Portodos os seus feitos, em junho do ano passado, Gilberto faturou o troféu top 10 da IGFA. Mas ainda é pouco por tudo o que fez e que ainda sonha em realizar. “Meu primeiro recorde foi uma piraíba de 116,4 kg. O último, quem sabe?”, conta o Pelé da pesca, que com seus feitos colocou o país no topo da pesca esportiva mundial. Obrigado, Dr!

Hélio Guinsburg%2C dourado%2C isca de bonito%2C oceânica.Reprodução Internet
Marcelo Silva%3A namorado%2C isca de bonito%2C oceânicaReprodução Internet
Valter Duarte%3A robalo%2C isca de camarão vivo%2C ItacuruçáReprodução Internet
Marcos Paulo%3A pescada-amarela%2C isca de camarão vivo%2C ItacuruçáReprodução Internet
Claudin Faria%3A sargo%2C isca artificial%2C em pesca de caiaque em SaquaremaReprodução Internet
Binho Heuser Jr%3A pampo%2C isca de camarão vivo%2C na Ilha da Madeira.Reprodução Internet

CONDIÇÕES DO TEMPO

Previsão é de mais chuva para o fim de semana no Rio, com predomínio de ventos do quadrante sul. O mar, no entanto, fica calmo na orla fluminense. De Lua Minguante, maiores variações das marés hoje são: alta a 1.0m, 0h:50, e 0.9m, 12h30; e baixa a 0.5m, 6h, e 0.2m, 18h15.

DICAS DE PEIXES

Mestre Canarinho:

(99953-8100), as iscas são sardinha, camarão e lula: Quebra Mar da Barra — marimbá, corvina, papa-terra e pescadinha; Cagarras — pescadinha, papa-terra, corvina e ângulo; Gragoatá/Boa Viagem — corvina, papa-terra e carapicu-bandeira; Ilhas Pai e Mãe — p escadinha, papa-terra, corvina e espada.

Carlinhos Piraúna:

Pracinha Niemeyer — espada (noite); Arpoador — espada (noite); Leme — anchovetinha (dia) e espada (noite); Praia Vermelha — espada.

Gilberto Ohoishi:

(22)- 99839-6442: em Arraial do Cabo, na Praia Grande — tira-e-vira, corvina e pargo; Ponta do Focinho —maria-mole, castanha, goete e lanceta; no largo da Praia da Ilha do Farol — pargo, olho-de-cão e peroá; Largo da Pedra Vermelha — peroá e pargo; na boca da barra — pescadinha e goete.

Últimas de Esporte