Mogi decola e traça plano de voo: NBA

Campeão do Torneio de Enterradas do NBB dará outro passo na tentativa de realizar o sonho de chegar à liga americana

Por O Dia

Rio - A facilidade para "voar" impulsiona os planos do jovem Mogi. O ala-armador do Paulistano, de 19 anos e 1,97m, deu prova de seu talento e impressionou ao ganhar o Torneio de Enterradas do NBB. A notoriedade no Brasil é recente, mas ele, desde 2014, tem feito bonito fora do país, tanto que foi chamado para participar do Nike Hoops Summit, evento que reunirá os principais prospectos entre 17 e 19 anos do basquete mundial, em abril, nos Estados Unidos:

Mogi 'voou' e ganhou o Torneio de Enterradas do NBB Fotojump / LNB / Divulgação

“Vou dar o meu máximo para me destacar. Eu fui bem em dois torneios da Adidas, até fui o cestinha”, conta Mogi.

O desejo é voar rumo à NBA. Os torneios ajudam na caminhada até o Draft - ele pretende se inscrever no futuro. Até lá, muito trabalho pela frente. Agora, com o reconhecimento nas ruas após o título:

Mogi passou por cima de Toyloy em uma de suas enterradasFotojump / LNB / Divulgação

“Fui ao banco buscar um cartão e de repente uma moça me deu parabéns e disse: ‘Você ganhou de todo mundo.’”, diverte-se.

Mogi não esconde a fascinação por enterrada. A inspiração é em Vince Carter, especialista do assunto na NBA. A "brincadeira" virou coisa séria: “Eu pulava o dia inteiro, dando enterrada. Daí, fui aumentando a impulsão”, relembra. O próximo pulo é alcançar a NBA.

O ala-armador começou a jogar basquete com 15 anos ("a altura ajudava", relembra). De lá para cá, passou pelo Palmeiras e reforçou o juvenil do Paulistano, no qual faz a transição entre base e adulto - tem média de 3,5 minutos e 1,2 ponto por jogo no NBB.

Repertório ofensivo

Enterrar não é a única arma no repertório de Mogi. Gustavinho, técnico do Paulistano, destaca as virtudes do ala-armador: "Ele tem uma qualidade indiscutível para saltar bem, de enterrar. Isso é uma coisa à parte. Ele é um excelente menino, sempre disposto a aprender, a treinar muito. É difícil achar jovens que têm a atitude dele, que goste de treinar mais. Ele tem iniciativa para treinar. Merece tudo que está acontecendo".

A vocação ofensiva é um diferencial de Mogi: "Ele é um cara bem agressivo ofensivamente. Foi cestinha por onde passou. Ele se destaca em pontos. Gosta de jogo decisivo, tem infiltração, um bom arremesso de três pontos. Ele ajuda no rebote, até por saltar bem", acrescenta Gustavinho, que acompanha atentamente os passos de Mogi:

"No camp da Adidas ele surpreendeu todo mundo, foi o jogador mais eficiente. Sempre que sai do Brasil ele supera esta timidez e se solta em quadra. Torço para que se destaque e quem sabe seja mais um brasileiro na NBA."

Últimas de Esporte