O crescimento de Benite na Espanha

Ala-armador avalia primeira temporada na Europa, destaca clima especial para a Olimpíada do Rio e gratidão ao Flamengo

Por O Dia

Espanha - O sucesso com o Flamengo e a medalha de ouro no Pan-Americano de Toronto levaram Vitor Benite à Espanha. É na Liga Endesa que o ala-armador continua a curva de crescimento e mostra seu talento na segunda principal liga do mundo. Benite tem médias de 7,9 pontos e 18 minutos por jogo pelo Murcia.

Benite avalia primeira temporada na Espanha e tenta levar o Murcia aos playoffsDivulgação

"A avaliação da minha primeira temporada é muito boa. Todo jogador quando muda de país, de liga, passa por um momento de adaptação ao idioma, aos jogadores. Enfrentar isso me fez crescer muito. Você jogar na segunda melhor liga do mundo faz todo jogador crescer. Isso vem me ajudando muito", conta Benite.

Para o ala-armador, a principal diferença entre o basquete brasileiro e o espanhol está na preparação, no tempo disponível para treinar e a forma como a equipe trabalha.

"No Brasil, o esquema de jogo é parecido com o europeu. A diferença está no "como". Em cada jogo, cada treino, os jogadores estão ali os 40 minutos concentrados, focados na defesa, com intensidade em todo tempo. A diferença é na preparação. Aqui, oitos times jogam apenas uma vez por semana. Isso faz a preparação ser diferente. São 34 finais aqui, sempre com 100%, intensidade alta. No Brasil, fazia 60, 70 jogos, não era possível ter a intensidade alta em todos os jogos", analisa, dando mais detalhes da rotina na Espanha:

"No dia a dia, os técnicos e jogadores tentam puxar o mais parecido possível com o jogo, com intensidade na defesa, no ataque, esta concentração para adaptar o corpo e a cabeça para o jogo. Não vejo o Brasil tão longe. Já tenta colocar isso em prática. Pouco a pouco vai melhorando."

Benite tem média de quase oito pontos na EspanhaDivulgação

Benite é um dos trunfos do Murcia, atual nono colocado na reta final da fase de classificação da Liga Endesa (faltam seis jogos), num objetivo inédito.

"A equipe está focada. São seis finais para nós. A nossa meta é colocar o time pela primeira vez na história dos playoffs. A equipe está bem", avisa.

Olho no Rio

Da Espanha, Benite também vive o clima olímpico. No fim de fevereiro, ele recebeu a visita de Rubén Magnano, técnico da seleção brasileira. Em pauta, o planejamento e planos para os Jogos. É mais um indício de que o ala-armador deve ser um dos convocados para o Rio-2016.

Benite recebeu a visita de Magnano%3A papo olímpicoDivulgação

"Foi uma conversa muito bacana com o Rubén. Depois de tudo que passei com a Seleção, todo o meu crescimento individual depois da lesão no joelho esquerdo, eu me coloquei numa posição muito boa na Seleção. Conversamos sobre o que ele está pensando para mim dentro da equipe", afirma Benite.

O ala-armador sabe que está perto de realizar mais um sonho na carreira: "Passei por muitas coisas na Seleção. Sempre me preparei para estar na Olimpíada. Não sinto tanta ansiedade como os jogadores que estão no Brasil, mas já vivo um clima especial de conquistar o sonho de jogar a Olimpíada e quem sabe ganhar uma medalha", acrescentou.

Importância do Flamengo e torcida rubro-negra

Benite guarda com carinho as últimas três temporadas no Brasil. Com a camisa do Flamengo, ele deu um passo importante na carreira, com rotina de títulos e mentalidade de campeão.

"Estas três temporadas foram essenciais e me transformaram em um jogador vitorioso. Uma coisa é jogar, ter médias boas, como sempre tive desde muito cedo. Uma coisa é fazer isso, outra é ganhar título, disputar finais. O Flamengo me trouxe isso. Aos 26 anos, o Flamengo já me fez ter um currículo mesmo muito jovem, com título mundial, da Liga das Américas, três NBB's. O Flamengo me trouxe esta mentalidade de ser campeão, de conhecer o sabor de ser campeão. Sou muito grato por isso", declara.

Benite lembra com carinho a época em que defendeu o FlamengoDivulgação

O ala-armador mantém contato com os antigos companheiros e acompanha o Flamengo no NBB. Ele reforça a torcida rubro-negra pelo quarto título consecutivo do torneio.

"O Flamengo demonstrou uma consistência muito grande não só pela base que foi criada, mas pelo elenco forte que tem. Estou na torcida pelo tetra", declara.

Últimas de Esporte