Iscas & Anzóis: Brasileiros brilham no Mundial dos bicudos na Costa Rica

Duas equipes do Rio chegam ao pódio em tradicional torneio

Por O Dia

Rio - Se o Brasil de Dunga não vai bem das pernas, na pescaria esportiva é só alegria. Duas equipes do Rio fizeram pódio no mais tradicional mundial de pesca oceânica, a Championship 2016, disputado na Costa Rica, em Quepos, entre os dias 17 e 22 deste mês. Estreante, Fernando Filho, Fernandinho Pesca, mal chegou e já foi para a janela do ônibus. O cara abocanhou com sua equipe, Marcos Lips, Sandro Lahman, Elton da Cunha Vasconcellos e Rodrigo de Mattos Ramos, um honroso terceiro lugar, com 8.100 pontos e um marlin-azul capturado.

À esquerda%2C equipe de Fernandinho Pesca. Ao lado%2C os vice-campeões do Iate Clube. Na parte inferior%2C Pedro Guimarães levou prêmio pelo único wahooDivulgação

“Foi o meu primeiro mundial e já peguei pódio. Tem gente que vai há mais de 8 anos e nada. Estou muito feliz”, festejou Fernandinho. Para quem acha pouco, a competição reuniu 330 cascudos pescadores esportivos de vários países, cinco em cada uma das 66 lanchas.

O segundo lugar, com 8.400 pontos, foi para a equipe do Iate Clube do Rio de Janeiro, de João Pablo Costa, Evandro Soares, Fernando Pedrosa, Ricardo Pedrosa e Antonio Villarejo. A primeira posição ficou para Trinidad & Tobago, com 9.000 pontos. Segundo os organizadores, a 17ª edição do mundial foi acirrada e o campeão só foi decidido nos últimos quinze minutos. Valendo ponto, foram fisgados e devolvidos 12 marlins-azuis, 1 marlin-preto 1 marlin-listrado, além de 2 dourados e 1 wahoo (cavala).

Para participar, a equipe de Fernandinho venceu o Torneio Aberto com Iscas Artificiais e a equipe vice, o Cabo Frio Marlin Invitational. Ambas competições do Iate Clube. Outro brasileiro a brilhar foi Pedro Guimarães, do Marina Open-Torneio de Pesca nas Ilhas. Ele fisgou o único whoo da competição e se sagrou campeão.

Novo recorde

Maicon Soares, de São Paulo, acaba de recuperar seu recorde mundial da IGFA de pesca de robalo, com esse flechão de 109 cm. Bitelão foi fisgado e liberado em Ubatuba. Recorde de 107 cm de Maicon havia sido superado por um americano, com peixe de 108 cm.

Maicon estabeleceu recordeDivulgação

“A alegria do gringo durou pouco. É Flex neles”, vibrou Maicon que produz as suas próprias iscas artificiais.

Ataque no mar

Vejam como ficou o olho-de-boi, atacado por um tubarão-mako quando era fisgado por pescador no litoral da Bahia. A cena inusitada aconteceu durante pesca do grupo do Peixe Pescador. O que restou do peixe pesou 33 kg. Calcula-se que o monstro tivesse mais de 60 kg.

Olho-de-boi foi atacado por tubarão-mako quando era fisgadoDivulgação

Varas de molho

Por causa da ressaca que atinge nosso litoral, não temos dicas de peixes hoje. A recomendação é para se evitar, sobretudo, pescas embarcadas fora de baías, em costões e praias oceânicas nos próximos dias.

Mais concorrentes ao superkit

Galera está concorrendo ao prêmioDivulgação


Últimas de Esporte