Por fabio.klotz

Itália - O futuro do Milan parece ter ficado mais claro nesta terça-feira. O Fininvest Group, holding de Silvio Berlusconi e proprietária do gigante clube italiano, fechou um acordo para negociar exclusivamente com um grupo de investidores chineses a possível venda de uma participação do Milan, do qual é detentor de 100%.

Sem revelar os nomes dos investidores chineses, um comunicado no site oficial do Milan afirma que um "memorando de entendimento" foi assinado entre as partes para abrir as negociações para aquisição do clube.

Não foram fornecidos mais detalhes, porém, o jornal esportivo italiano Gazzetta dello Sport informou que o acordo de negociação exclusiva durará por 45 dias. Além disso, estaria sendo discutida uma oferta de 500 milhões de euros (aproximadamente R$ 1,98 bilhão) por 70% do Milan.

Berlusconi discutiu a venda de Milan com vários grupos empresariais recentemente. No ano passado, a negociação que mais avançou foi com um investidor tailandês, Bee Taechaubol, que tentava adquirir uma participação de 48% no clube.

Berlusconi assumiu o Milan em fevereiro de 1986 e presidiu o clube na sua era mais bem-sucedida, com a conquista de 28 títulos, sendo oito do Campeonato Italiano e cinco da Liga dos Campeões da Europa.

No entanto, o Milan afundou nos últimos anos e não conquista o torneio nacional desde 2011. A apenas uma rodada para o fim do Campeonato Italiano, o Milan está apenas em um modesto sétimo lugar.

A menos que o Milan ultrapasse o sexto colocado Sassuolo neste fim de semana ou vença a Copa da Itália, a equipe não se classificará para competições europeias pelo terceiro ano consecutivo.

Após Sinisa Mihajlovic ser demitido no mês passado, o substituto Cristian Brocchi se tornou o quinto treinador do Milan em pouco mais de dois anos. Ainda assim, o Milan pode conquistar um troféu ainda nesta temporada, no fim do mês, quando enfrentará a Juventus na decisão da Copa da Itália.

O Milan tem discutido planos para construir um novo estádio, mas nada de definitivo foi apresentado. Agora, o próximo passo na gestão do clube parece ser a sua venda para um ainda desconhecido investidor chinês.

Você pode gostar