'Pior' seleção italiana vence 'ótima geração belga' na estreia na Eurocopa

Tetracampeões começaram com 'pé direito' na competição

Por O Dia

França - Mesmo em baixa e sem grandes nomes no cenário internacional, a Itália estreou no grupo E da Eurocopa com uma vitória sobre a badalada seleção da Bélgica por 2 a 0 nesta segunda-feira, em partida disputada no estádio Parc Olympique Lyonnais, em Lyon. A Itália chegou à Euro com desfalques importantes, principalmente no meio-campo, setor em que o técnico Antonio Conte não tem à disposição Claudio Marchisio, Marco Verratti e Andre Pirlo, entre outros.

Com tantas baixas, o técnico Antonio Conte teve de lidar em entrevista coletiva com a pergunta se esta é a pior seleção italiana que já participou de uma edição da Euro. O treinador não foi direto na resposta, mas prometeu uma equipe bastante aguerrida, o que realmente foi visto. A Bélgica teve maior posse de bola (55% a 45%) e mais jogadas de ataque (18 a 11), mas, com maior disposição e efetividade, a 'Azzurra' balançou a rede com Giaccherini, ainda no primeiro tempo, e Pellé, nos instantes finais, para conquistar a vitória.

Itália levou a melhor sobre a BélgicaEfe

Com o resultado, a tetracampeã mundial sai na frente na chave, já que é a única a ter somado três pontos. Irlanda e Suécia, que também hoje empataram em 1 a 1, têm um ponto cada, enquanto a "ótima geração belga" ainda não pontuou. A Itália contou com dois jogadores nascidos no Brasil, o atacante Eder, que foi titular, e o volante Thiago Motta, que veste a camisa 10 e entrou no segundo tempo. Nos 'Diabos Vermelhos', Marc Wilmots perdeu seu capitão, o zagueiro Vicent Kompany, também por lesão. Com isso, a dupla de zaga foi formada por Toby Alderweireld e Thomas Vermaelen.

Como era esperado, a Bélgica teve mais a bola desde o começo e criou mais chances de gol. Aos nove minutos do primeiro tempo, a bola foi de pé em pé no ataque dos 'Diabos Vermelhos' até Nainggolan bater de fora da área. Buffon, em sua quarta Eurocopa, caiu no canto e espalmou. Pouco depois, aos 16, De Bruyne puxou-contra ataque e teve espaço pela direita, mas errou o passe ao buscar Lukaku, Embora rondassem a área italiana, os belgas não conseguiam penetrar, e era necessário apelar para as finalizações de fora. Nainggolan tentou outra aos 21, após passe de Fellaini, mas mandou à direita do alvo.

Foram necessários 29 minutos para que a Itália enfim desse um chute perigoso. Giaccherini foi acionado no meio e abriu na esquerda para Pellé, que cortou e arremateu por baixo. Courtois caiu, mas recolheu o braço e ficou com o tiro de meta. A Bélgica atacava mais até então, mas a 'Azzurra' foi mais eficiente e abriu o placar aos 31. Bonucci descolou lançamento espetacular para Giaccherini, que, dentro da área, dominou e chutou tirando de Courtois para fazer 1 a 0.

O gol empolgou os italianos, que poderiam ter ido para o intervalo com uma vantagem maior. Aos 35, Candreva tentou de longe, e o goleiro espalmou para fora. Um minuto depois, Felaini cortou mal a cobrança de escanteio, Parolo cabeceou para o meio e, também de cabeça, Eder tirou tinta da trave direita. A etapa inicial foi agitada desde o início, e um descuido da retaguarda italiana permitiu que Lukaku tivesse grande chance.

Aos sete minutos, De Bruyne aproveitou um buraco no meio e tocou para o centroavante, que tirou de Buffon, mas exagerou na força e viu a bola raspar o poste esquerdo. A resposta da tetracampeã mundial foi praticamente instantânea. Aos oito, Candreva cruzou da direita, Pellé acertou mais um cabeceio e Courtois voou no cantinho para evitar o segundo. Na sequência, aos dez, Hazard bateu de fora e Buffon pegou firme. Numa tentativa ousada, aos 24 minutos, Mertens quis surpreender Buffon com um chute do meio de campo.

O arqueiro italiano não alcançou, mas a bola subiu demais e saiu. Bem mais de perto, da linha da grande área, Giaccherini bateu rasteiro e acertou as costas de Alderweireld, que salvou com um carrinho, aos 29. Os instantes finais foram de grande emoção e praticamente um treino de ataque contra defesa, em que os defensores acabaram levando a melhor. Aos 36 minutos, Origi, que entrara em lugar de Lukaku, aproveitou cruzamento de De Bruyne da esquerda e cabeceou por cima. A bola procurava Origi, mas o jogador do Liverpool não a tratava bem.

Aos 41, depois de mais um levantamento, o centroavante teve espaço para emendar uma bicicleta, mas furou e desperdiçou a última grande chance. Aos 45 minutos, a Itália marcou o segundo e matou o confronto. Em contra-ataque muito bem trabalhado, Immobile passou na direita para Candreva, que se enrolou em um primeiro momento, mas conseguiu cruzar para Eder emendar de primeira, fuzilando Courtois, para fazer 2 a 0.

Últimas de Esporte