COI confirma a exclusão do atletismo da Rússia dos Jogos Olímpicos no Rio

'Tomamos uma posição unânime de que confirmamos a decisão de suspender a Rússia', afirmou o presidente Thomas Bach

Por O Dia

Rio - O Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou nesta terça-feira a exclusão da Rússia dos Jogos do Rio em todos os eventos do atletismo, na maior sanção já adotada pela entidade por conta do doping. O anúncio foi feito nesta manhã em Lausanne depois de uma reunião de cúpula da entidade. O objetivo era o de mandar um recado forte a todos os países de que casos como o de Moscou, onde há forte suspeita da existência de apoio estatal no esquema de uso de substâncias proibidas por atletas, não serão tolerados.

"Tomamos uma posição unânime de que confirmamos a decisão de suspender a Rússia. Temos de unir forças com todos os parceiros para lidar com essa situação difícil", afirmou Thomas Bach, presidente do COI. "Temos de fortalecer o combate", insistiu.

Yelena Isinbayeva não estará nos Jogos do RioEfe

O COI anunciou ainda uma série de medidas para garantir que os atletas de vários países que sejam autorizados a ir ao Rio passem por testes antidoping rigorosos, numa esperança de proteger a credibilidade da competição.

Na última sexta-feira, a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) havia anunciado a proibição da participação na Olimpíada de todo o atletismo russo diante da acusação de que o doping na modalidade havia sido generalizado e que as autoridades de Moscou não adotaram medidas suficientes para garantir o controle do uso de produtos proibidos.

Vladimir Putin, presidente russo, deixou claro que não aceitava a "punição coletiva" e alertou que iria pressionar o COI a rever a situação. Para ele, uma "solução" teria de ser encontrada. Mas numa reunião nesta terça-feira, a entidade optou por manter a suspensão, em um duro golpe contra uma das maiores potências do esporte mundial, declarando "respeitar, aprovar e apoiar" a decisão da IAAF.

O COI, porém, deixou uma brecha para que atletas russos possam competir. Mas, para isso, terão de provar que realizaram testes antidoping de forma regular fora da Rússia. Caso sejam aprovados poderão viajar até o Rio. Mas apenas para participar sob uma "bandeira neutra", e não da Rússia. Atletas como Yelena Isinbayeva já anunciaram que não aceitarão competir nessas condições e prometem levar o caso à Justiça.

Atletas poderão competir sob bandeira russa se comprovarem elegibilidade

Nesta terça-feira, o COI anunciou que "atletas limpos" poderão competir sob a bandeira russa. A entidade ainda pediu aos atletas que se considerem inocentes para que passem por testes fora do país. Essa recomendação, porém, não vale apenas para o atletismo, mas para todas as modalidades esportivas.

A definição desta terça é considerada severa, mas, atendendo um apelo do governo de Vladimir Putin, pois barra a decisão de impedir que atletas possam competir sob a bandeira da Rússia. O Kremlin havia alertado, momentos antes do anúncio, que poderia tomar uma decisão "sem precedentes", abrindo temores de um boicote ao Rio pelos russos.

"A conclusão é de que as alegações contra a Rússia colocam sérias duvidas sobre a presunção de inocência para atletas. Portanto, cada atleta que venha desse país terá de passar por exames independentes e fora de locais onde seus laboratórios tenham sido afetados", disse Thomas Bach, presidente do COI. "Temos de fortalecer o combate", insistiu.

Putin defendia que uma "solução" teria de ser encontrada, recusando a ideia de que os atletas "limpos" pudessem competir sob um bandeira neutra ou do COI, como ocorrem com competidores de países em conflito ou atletas refugiados. Assim, numa reunião nesta terça-feira, o COI optou por manter a suspensão, mas atendeu a algumas das exigências dos russos.

QUÊNIA

Mas não será apenas a Rússia que precisará confirmar a elegibilidade dos seus atletas através das federações internacionais de seus esportes. O COI também confirmou que os competidores do Quênia também terão que passar por exames antidoping em laboratórios internacionais, sob o risco de que também não possam participar da Olimpíada.

Últimas de Esporte

COI confirma a exclusão do atletismo da Rússia dos Jogos Olímpicos no Rio O Dia - Esporte

COI confirma a exclusão do atletismo da Rússia dos Jogos Olímpicos no Rio

'Tomamos uma posição unânime de que confirmamos a decisão de suspender a Rússia', afirmou o presidente Thomas Bach

Por O Dia

Rio - O Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou nesta terça-feira a exclusão da Rússia dos Jogos do Rio em todos os eventos do atletismo, na maior sanção já adotada pela entidade por conta do doping. O anúncio foi feito nesta manhã em Lausanne depois de uma reunião de cúpula da entidade. O objetivo era o de mandar um recado forte a todos os países de que casos como o de Moscou, onde há forte suspeita da existência de apoio estatal no esquema de uso de substâncias proibidas por atletas, não serão tolerados.

"Tomamos uma posição unânime de que confirmamos a decisão de suspender a Rússia. Temos de unir forças com todos os parceiros para lidar com essa situação difícil", afirmou Thomas Bach, presidente do COI. "Temos de fortalecer o combate", insistiu.

Yelena Isinbayeva não estará nos Jogos do RioEfe

O COI anunciou ainda uma série de medidas para garantir que os atletas de vários países que sejam autorizados a ir ao Rio passem por testes antidoping rigorosos, numa esperança de proteger a credibilidade da competição.

Na última sexta-feira, a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) havia anunciado a proibição da participação na Olimpíada de todo o atletismo russo diante da acusação de que o doping na modalidade havia sido generalizado e que as autoridades de Moscou não adotaram medidas suficientes para garantir o controle do uso de produtos proibidos.

Vladimir Putin, presidente russo, deixou claro que não aceitava a "punição coletiva" e alertou que iria pressionar o COI a rever a situação. Para ele, uma "solução" teria de ser encontrada. Mas numa reunião nesta terça-feira, a entidade optou por manter a suspensão, em um duro golpe contra uma das maiores potências do esporte mundial, declarando "respeitar, aprovar e apoiar" a decisão da IAAF.

O COI, porém, deixou uma brecha para que atletas russos possam competir. Mas, para isso, terão de provar que realizaram testes antidoping de forma regular fora da Rússia. Caso sejam aprovados poderão viajar até o Rio. Mas apenas para participar sob uma "bandeira neutra", e não da Rússia. Atletas como Yelena Isinbayeva já anunciaram que não aceitarão competir nessas condições e prometem levar o caso à Justiça.

Atletas poderão competir sob bandeira russa se comprovarem elegibilidade

Nesta terça-feira, o COI anunciou que "atletas limpos" poderão competir sob a bandeira russa. A entidade ainda pediu aos atletas que se considerem inocentes para que passem por testes fora do país. Essa recomendação, porém, não vale apenas para o atletismo, mas para todas as modalidades esportivas.

A definição desta terça é considerada severa, mas, atendendo um apelo do governo de Vladimir Putin, pois barra a decisão de impedir que atletas possam competir sob a bandeira da Rússia. O Kremlin havia alertado, momentos antes do anúncio, que poderia tomar uma decisão "sem precedentes", abrindo temores de um boicote ao Rio pelos russos.

"A conclusão é de que as alegações contra a Rússia colocam sérias duvidas sobre a presunção de inocência para atletas. Portanto, cada atleta que venha desse país terá de passar por exames independentes e fora de locais onde seus laboratórios tenham sido afetados", disse Thomas Bach, presidente do COI. "Temos de fortalecer o combate", insistiu.

Putin defendia que uma "solução" teria de ser encontrada, recusando a ideia de que os atletas "limpos" pudessem competir sob um bandeira neutra ou do COI, como ocorrem com competidores de países em conflito ou atletas refugiados. Assim, numa reunião nesta terça-feira, o COI optou por manter a suspensão, mas atendeu a algumas das exigências dos russos.

QUÊNIA

Mas não será apenas a Rússia que precisará confirmar a elegibilidade dos seus atletas através das federações internacionais de seus esportes. O COI também confirmou que os competidores do Quênia também terão que passar por exames antidoping em laboratórios internacionais, sob o risco de que também não possam participar da Olimpíada.

Últimas de Esporte