Messi isola pênalti, 'seca' da Argentina continua e Chile é bi da Copa América

Seleção argentina está há 23 anos sem conquistar um título

Por O Dia

Estados Unidos - A seca argentina continua. O filme de 2015, se repetiu quase de maneira idêntica neste ano. Contra o Chile na decisão, a equipe bicampeã do mundo novamente empatou por 0 a 0 e acabou derrotada na decisão por pênaltis por 4 a 2. Maior craque argentino, Lionel Messi isolou a sua cobrança e foi um dos atletas que acabaram perdendo a sua cobrança. O Chile levou a melhor nas disputas e conquistou o seu segundo título na história, se sagrando bicampeão da Copa América, em ano de centenário do torneio.

Com o vice-campeonato, a Argentina segue com o jejum de 23 anos sem levantar uma taça nas competições que disputada com a seleção principal. O último título dos "hermanos" aconteceu na Copa América de 1993.

Argentina foi derrotada pelo Chile nas penalidadesReprodução Twitter

O JOGO

A Argentina começou melhor e assustou com menos de um minuto. Banega arriscou em chute de fora da área e a bola passou muito perto da meta de Bravo. Aos 20 minutos a Argentina perdeu uma chance incrível com Higuaín. Ele aproveitou falha de Medel, ficou cara a cara com Bravo, mas mandou para a fora.

A Argentina seguia melhor e ficou em situação mais cômoda aos 27 minutos. Díaz parou Messi com falta e levou o segundo amarelo, sendo expulso. Só que a vantagem não demorou muito. Marcos Rojo recebeu vermelho após forte entrada em cima de Vidal.  

Chile se sagrou campeão novamenteReprodução Twitter

No segundo tempo de partida, o Chile voltou equilibrando mais a posse de bola e conseguiu assustar com finalização de Vargas. Isla teve boa oportunidade, mas chutou longe da meta de Romero.

Aos 34, Sánchez deu lindo lançamento para Vargas invadir e bater cruzado, Romero caiu bem e espalmou o chute do chileno. No fim, Agüero entrou no lugar de Higuaín e teve uma boa chance, mas o duelo acabou indo para a prorrogação.. 

Prorrogação
?
A prrogação não foi muito animada. A melhor chance aconteceu na primeira etapa. Após levantamento para a área, Agüero cabeceou, a bola ia encobrindo Bravo, mas o goleiro deu um toque e ela acabou tocando no travessão. 

Penalidades

Os chilenos foram melhores nas penalidades e conseguiram ficar com a taça. Messi isolou sua cobrança, Bravo defendeu a de Biglia e coube a Silva marcar o último gol para garantir o bicampeonato para o Chile. 

FICHA TÉCNICA
ARGENTINA (2) 0 x 0 (4) CHILE

Data-Hora: 26/06/16 - 21h (de Brasília)
Estádio: MetLife Stadium, em Nova Jersey (EUA)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (BRA)
Assistentes: Kleber Gil (BRA) e Bruno Boschilia (BRA)
Cartões amarelos: Mascherano, Messi e Kranevitter (ARG); Díaz (2), Vidal, Beausejour e Aránguiz (CHI)
Cartão vermelho: Díaz (CHI); Marcos Rojo (ARG)
Gol: Não Houve

ARGENTINA: Sergio Romero; Mercado, Otamendi, Funes Mori e Marcos Rojo; Mascherano, Banega (Lamela, 5'/2ºP) e Biglia; Di María (Kranevitter, 11'/2ºT), Higuaín (Agüero, 24'/2ºT) e Messi. TEC: Gerardo Martino.

CHILE: Claudio Bravo; Isla, Medel, Gonzalo Raja e Beausejour; Aránguiz, Díaz e Vidal; Fuenzalida (Edson Puch, 35'/2ºT), Vargas (Nicolás Castillo, 3'/2ºP) e Alexis Sánchez (Francisco Silva, 12'/1ºP). TEC: Juan Antonio Pizzi.


Últimas de Esporte