Zé Roberto confirma que segue no comando da seleção de vôlei até Tóquio 2020

Treinador quer permanecer no cargo para tentar apagar a má campanha nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, onde Brasil caiu nas quartas de final

Por O Dia

Rio - Trinta e sete dias depois que a seleção brasileira de vôlei feminino foi surpreendente eliminada da Olimpíada do Rio, ao perder da China nas quartas de final da competição, o técnico José Roberto Guimarães anunciou nesta sexta-feira que vai permanecer no comando da equipe nacional até a próxima Olimpíada, que será realizada na cidade de Tóquio em 2020.

José Roberto Guimarães vê um 'equilíbrio muito grande' no grupo do BrasilDivulgação

"Eu ainda não me via fora da Confederação (Brasileira de Vôlei), fora do voleibol brasileiro", disse o técnico, que está à frente da seleção feminina desde 2003. De lá para cá, ele se consagrou com a conquista de dois ouros olímpicos, obtidos nos Jogos de Pequim-2008 e Londres-2012, mas acabou vendo a equipe nacional fracassar na Olimpíada disputada em casa.

E foi justamente a dura eliminação que motivou Zé Roberto a seguir no cargo, pois se deixasse a seleção agora sairia de cena deixando como última impressão a inesperada derrota em casa. "Foi amargo pensar em como a gente perdeu (no Rio-2016). Deu um sentimento de não ter cumprido a missão. Depois de 2008 e 2012 me senti com a missão cumprida. Agora não me sinto. Sinto que tenho coisas a fazer, e o Brasil precisa continuar entre os melhores", completou o comandante, em entrevista coletiva, na qual também enfatizou a importância de seguir trabalhando com a base da seleção nacional, que ele também vinha coordenando.

Depois de uma primeira fase na qual teve 100% de aproveitamento, o Brasil acabou batido pela China por 3 sets a 2 nas quartas de final da Olimpíada. Apesar de depois terem ficado com o título olímpico, as chinesas terminaram o estágio inicial da competição apenas na quarta posição de seu grupo. As brasileiras, porém, relaxaram após arrasarem no primeiro set no confronto e foram surpreendidas pelas asiáticas.

BERNARDINHO

Na seleção masculina, a Confederação Brasileira de Vôlei aguarda a resposta do técnico Bernardinho ao convite para continuar comandando o Brasil, que se consagrou tricampeão olímpico nos Jogos do Rio.

Ele ainda não se manifestou, mas a expectativa da CBV é a de que ele também permaneça no cargo, embora já tenha conquistado todos os títulos possíveis como técnico do time nacional, levado por ele a incríveis quatro finais olímpicas seguidas - além do ouro obtido no Rio, o comandante também foi ao topo do pódio em Atenas-2004 e ficou com a prata em Pequim-2008 e Londres-2012.

Também nesta sexta-feira, a CBV anunciou que Radamés Lattari, técnico da seleção masculina do Brasil nos Jogos de Sydney-2000, assumirá o cargo de diretor de vôlei de quadra da entidade. Antes, ele vinha atuando como diretor de competições, enquanto o ex-atacante Renan Dal Zotto ocupava o posto agora assumido por Lattari. Renan, por sua vez, está deixando de trabalhar para a CBV por razões pessoais.

Últimas de Esporte