Fifa sugere Copa do Mundo com 48 seleções e mata-mata antes da fase de grupos

Justificando a expansão, ele indicou que a meta da entidade é a de desenvolver o futebol em todo o mundo

Por bferreira

Suíça - Uma Copa do Mundo com 48 seleções. Essa é a nova ideia do novo presidente da Fifa, o suíço Gianni Infantino, que deixou claro que uma definição sobre o novo formato do Mundial será anunciada em janeiro, em Zurique. Falando na Colômbia, o dirigente que já havia proposto um torneio de 40 seleções indicou que a expansão pode ser além maior. Ele não explicou se a nova regra seria válida para 2022 ou 2026.

Gianni Infantino fez proposta polêmicaDivulgação

Gianni Infantino venceu a sua eleição com a mesma receita de antigos cartolas, como o brasileiro João Havelange ou o suíço Joseph Blatter: mais dinheiro para as federações nacionais e mais vagas nas Copas do Mundo.

De um formato de 32 times atuais, o evento passaria a ter 48 seleções. Mas 16 equipes seriam imediatamente desclassificados depois de apenas uma rodada de um mata-mata. Os 16 restantes continuariam no torneio e se juntariam a outros 16 times já classificados ao Mundial. Ficariam, assim, 32 times para o restante do torneio, com fase de grupos e seguido pela fase de eliminação.

"Essas são ideias para que possamos encontrar uma melhor solução", disse Gianni Infantino. "Vamos debater algumas delas neste mês e teremos uma decisão final até 2017", afirmou. "A ideia é de 16 times se classificariam diretamente para a fase de grupos e outros 32 jogariam uma fase preliminar no país onde a Copa seria realizada", explicou. "Isso tudo significa que continuaríamos com uma Copa do Mundo normal com 32 times. Mas 48 seleções iriam para a festa", completou.

Justificando a expansão, ele indicou que a meta da Fifa é a de desenvolver o futebol em todo o mundo. "A Copa é o maior evento existente. É mais que uma competição. É um evento social", disse

Suas ideias de expansão têm recebido duras críticas, principalmente de dirigentes preocupados com o tamanho cada vez maior do evento. Joachim Löw, técnico da Alemanha, chegou a dizer no fim de semana que uma Copa expandida iria "diluir" o valor esportivo do evento. Que também é contrário à ideia é a Associação de Clubes Europeus, que não quer um evento que supera os 30 dias.

Reportagem de Jamil Chade

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia