Hamilton vence nos EUA, mas Rosberg é segundo e mantém vantagem confortável

Quem saiu satisfeito com o resultado do GP foi o alemão, que com a 2ª colocação, nem precisa vencer nas próximas corridas para ser campeão

Por O Dia

Austin - Com grande facilidade, Lewis Hamilton venceu, neste domingo, o GP dos Estados Unidos, em Austin, e diminuiu ligeiramente a desvantagem em relação ao líder do Mundial de Pilotos, Nico Rosberg. No entanto, quem saiu satisfeito com o resultado foi o alemão, que foi o segundo colocado e sequer precisa vencer uma corrida nas últimas três provas para sair campeão. O australiano Daniel Ricciardo completou o pódio.

Os dois companheiros de Mercedes estão separados por 26 pontos, 331 para Rosberg a 305 para Hamilton, a três provas para o término da temporada. O alemão pode ser campeão ao final do ano sem precisar vencer mais corridas, pois bastam mais dois segundos lugares e um terceiro.

Hamilton venceu o GP dos Estados Unidos%2C mas não conseguiu diminuir muito a vantagem de RosbergEfe

Hamilton venceu a prova norte-americana no Texas pela quarta vez, em cinco corridas realizadas no circuito. O triunfo também foi o 50.º na carreira do tricampeão mundial, que não desistiu do tetra em 2016.

O brasileiro Felipe Massa, da Williams, vinha em uma corrida consistente, mas não aguentou a pressão de Fernando Alonso, foi ultrapassado nas últimas voltas e cruzou a linha de chegada na sétima posição. Já Felipe Nasr, da Sauber, foi o 15.º.

Alonso, aliás, foi o grande destaque da prova. Após largar da 12 ª colocação, ele levou o carro posições acima durante a prova e mostrou todo o seu talento no final. Após deixar Massa para trás, o espanhol bicampeão do mundo fez uma bela ultrapassagem sobre Carlos Sainz Jr., na última volta, e assegurou a quinta posição.

Com o resultado, Massa caiu para o 11º lugar na classificação do campeonato, que terá a próxima etapa em 30 de outubro, quando será realizado o GP do México.

A PROVA

Na largada, Hamilton se aproveitou do lado limpo da pista e saltou na frente, enquanto Rosberg cedeu à pressão de Ricciardo e foi ultrapassado. O que fez a diferença para o australiano foi a maior aderência dos pneus supermacios escolhidos pela Red Bull em relação aos macios da Mercedes. Raikkonen, que largou em quinto, saltou para cima de Verstappen e assumiu a quarta posição.

Mais atrás no grid, Hülkenberg e Bottas se tocaram na primeira curva. O alemão da Force India levou a pior e precisou abandonar Já o finlandês da Williams teve um pneu furado no incidente e conseguiu levar o carro aos boxes para a troca.

Quem se beneficiou do incidente foi o brasileiro Felipe Massa, que saltou duas posições para o sétimo lugar. Ao final da primeira volta, os dez primeiros eram: Hamilton, Ricciardo, Rosberg, Raikkonen, Verstappen, Vettel, Massa, Sainz, Alonso e Gutiérrez.

Quando a corrida chegou à nona volta, Ricciardo precisou trocar os pneus supermacios por macios e foi aos boxes. Kimi Raikkonen também parou em seguida e fez o mesmo. Dois giros depois, Rosberg mostrou que a estratégia era de realizar trechos mais longos, pois parou para trocar os macios por pneus médios e voltou na sexta posição.

Abrindo cada vez mais na ponta, Hamilton foi chamado aos boxes na 14.ª volta e voltou com pneus macios, com plano diferente de seu companheiro de equipe, na segunda posição e com vantagem confortável em relação ao terceiro colocado Ricciardo. Vettel se manteve na ponta mostrando ótimo rendimento com os supermacios.

Na 14.ª volta, Max Verstappen mostrou agressividade e devolveu a ultrapassagem da largada, deixando Raikkonen para trás em uma bela manobra. No mesmo giro, enfim, Vettel foi chamado à sua primeira parada e colocou pneus macios, voltando na sexta posição, 7s atrás do seu companheiro de equipe.

Após as primeiras paradas, Hamilton, Ricciardo, Rosberg e Verstappen mantinham as primeiras posições, mas com distâncias grandes entre os pilotos. Entre eles, o melhor era o holandês da Red Bull, que voou baixo até encostar em Rosberg no 17.º giro. Mais atrás, Alonso conseguiu entrar no Top 10 após largar da 12 ª posição.

Em um bom ritmo, Vettel conseguiu encostar em seu companheiro de equipe na 23.ª volta, com a diferença abaixo de 1s. No mesmo giro, baixou para menos de 0s5. Quando a briga prometia esquentar, Raikkonen foi para os boxes e o alemão assumiu a quinta posição. O finlandês voltou com pneus supermacios.

Na 27.ª volta, Verstappen cometeu uma verdadeira trapalhada que comprometeu suas pretensões de pódio. Ele entrou nos boxes sem ser chamado pela Red Bull, pegando a equipe de surpresa, sem pneus prontos para a troca. O erro causou perda de segundos preciosos, e o holandês voltou para a pista na sétima posição, atrás de Felipe Massa, com pneus médios.

Depois, o holandês viveu um breve momento de felicidade, seguido pela desgraça. Verstappen passou Massa com facilidade logo depois de voltar dos boxes, mas em seguida, viu seu carro falhar e abandonou a corrida na 30.ª volta, ativando o safety-car virtual.

Aproveitando-se do carro de segurança, na 32.ª, as Mercedes foram para os boxes e asseguraram a última parada, voltando com Hamilton em primeiro e Rosberg em segundo, ambos com pneus médios. Ricciardo, que esperava superar o alemão na parada seguinte, lamentou pelo rádio. A bandeira verde balançou na 35.ª volta e a Red Bull recomendou que o australiano fosse ao ataque para cima do líder do campeonato em busca da segunda posição.

Na 37.ª volta, Hamilton fez a melhor volta dele na prova, passando a liderar com 10s de vantagem a Rosberg. Ricciardo, Raikkonen, Vettel, Sainz, Massa, Alonso, Perez e Button fechavam o Top 10 em uma corrida com poucas brigas efetivas por posição.

Dois giros mais tarde, Kimi Raikkonen foi aos boxes para a última parada e a Ferrari cometeu uma lambança. Ao colocar os pneus supermacios, um dos mecânicos esqueceu a pistola de troca de parafusos na roda direita traseira e liberou a saída do piloto. No entanto, logo que saiu dos boxes, o finlandês foi avisado pelo perigo da ferramenta presa no carro e precisou abandonar.

A dez voltas do final, uma briga começou a tomar corpo. Sainz, no quinto lugar, seguido por Felipe Massa e Fernando Alonso encostaram com menos de 1s de diferença entre eles. Após minutos de muita intensidade, mas poucas tentativas, o bicampeão mundial tomou a sexta posição graças a um erro do brasileiro, que perdeu o ponto de frenagem e viu o espanhol se dar melhor. Eles ainda tocaram roda com roda na área de escape da curva. Mais atrás, Nasr passou bem por Bottas e assumiu a 15.ª colocação.

Nos últimos giros, Vettel ainda se aproveitou da boa vantagem em relação ao quinto colocado e foi aos boxes. Já Rosberg chegou a diminuir a desvantagem, mas sequer ameaçou a liderança de Hamilton. Após uma corrida morna até certo ponto, Alonso partiu para cima de Sainz e assegurou mais uma ultrapassagem, que lhe rendeu a quinta posição com muita comemoração.

Na bandeirada quadriculada, Hamilton fechou um final de semana quase perfeito: ele foi o pole position e venceu a prova com facilidade, mas viu seu companheiro dar mais um consistente passo na briga pelo título da temporada.

Últimas de Esporte