Por bferreira

México - A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) decidiu não punir Sebastian Vettel depois de o alemão ter proferido ofensas contra o diretor de prova da entidade, Charlie Whiting, e o piloto da Red Bull Max Verstappen no GP do México, por meio do rádio de sua Ferrari, durante as voltas finais da corrida disputada no último domingo.

Sebastian Vettel escapou de puniçãoEfe

A FIA acabou perdoando o tetracampeão mundial depois de o mesmo ter pedido desculpas pelo seu comportamento e se mostrado arrependido pela sua atitude. Vettel herdou o terceiro lugar da prova mexicana, conquistada na pista por Verstappen, depois de o holandês ser punido pela direção de prova por uma manobra ousada a três voltas do fim, quando travava uma intensa batalha pelo terceiro lugar contra o alemão.

Naquela ocasião, Vettel se enfureceu após o jovem piloto da Red Bull não lhe dar passagem após cortar uma chicane com uma freada brusca para evitar que fosse ultrapassado pelo ferrarista, que em seguida xingou o adversário pelo rádio. E, após ser informado pela sua equipe de que a direção de prova estava investigando o incidente de pista entre os dois, disparou um palavrão contra Charlie Whiting.

Mesmo após a atitude intempestiva, a direção de prova acabou punindo Verstappen com o acréscimo de cinco segundos em seu tempo final de prova, fato que fez Vettel terminar a corrida em quinto lugar. Assim, ele foi ao pódio, depois de o holandês ter chegado a levantar o braço para comemorar o terceiro lugar ao cruzar a linha de chegada. O alemão, indignado, em seguida emparelhou a sua Ferrari com a Red Bull do rival e usou o dedo indicador para dizer que a vitória na pista na disputa entre os dois foi ilegal.

Por meio de um comunicado, a FIA justificou a ausência de punição dizendo que "imediatamente após o incidente, Sebastian Vettel espontaneamente procurou Charlie Whiting pessoalmente para expressar seu arrependimento pelo seu comportamento". "Ele então, novamente por iniciativa própria, enviou cartas ao presidente da FIA, Jean Todt, e a Charlie Whiting, nas quais se desculpava profundamente por suas ações. Ele também indicou que entrará em contato com Max Verstappen e jurou que tal incidente nunca mais ocorrerá novamente", afirmou a entidade.

Ao mesmo tempo, porém, a FIA informou ao alemão que não irá mais tolerar incidentes deste tipo e que tomou a decisão de não punir o alemão de forma excepcional, "à luz deste sincero pedido de desculpas e de forte comprometimento".

"A FIA sempre condenará o uso de linguagem ofensiva no esporte a motor, especialmente quando dirigida a funcionários e/ou participantes, e espera que todos os competidores sejam respeitosos e atentos ao exemplo que estabelecem para o público e para a geração mais jovem, especialmente", disse o comunicado, para depois finalizar: "A FIA aproveita esta oportunidade para avisar que, em caso de qualquer incidente futuro semelhante ao que ocorreu no México, medidas disciplinares serão tomadas, levando o caso ao Tribunal Internacional da FIA para julgamento"

Você pode gostar