Craque argentino é acusado de fumar maconha na concentração

Após a denúncia, jogadores argentinos, liderados por Messi, anunciam que não falarão mais com a imprensa local por tempo indeterminado

Por O Dia

San Juan - Apesar da vitória por 3 a 0 diante da Colômbia, quebrando um jejum de quatro jogos sem triunfos nas Eliminatórtias para a Copa de 2018, o clima na seleção argentina segue péssimo. Desta vez vez o pivô da polêmica é Lavezzi. O atacante foi acusado pela imprensa local de ter fumado maconha no hotel onde a Argentina estava concentrada para a partida desta terça-feira.

Jogadores argentinos anunciaram greve contra a imprensa localReprodução Vídeo

Ainda de acordo com os meios de comunicação do país vizinho, esse foi o motivo de Lavezzi ter sido cortado do banco de reservas pelo técnico Edgardo Bauza.

A polêmica repercurtiu mal entre os jogadores e, depois da partida contra a Colômbia, os jogadores se reuniram na sala de imprensa do estádio de San Juan e, através do seu capitão Messi, anunciaram que os atletas não falarão com a imprensa argentina por tempo indeterminado.

"Preferimos estar assim, dar a cara antes de dar o comunicado, como já sabem, porque se sabe de tudo aqui, estamos aqui para comunicar que tomamos a decisão de não falar mais com a imprensa por causa de falsas acusações e falta de respeito(…) A gente já sofreu com muita falta de respeito e não vamos mais tolerar. O que falaram do Lavezzi é gravíssimo. Lamentamos por tomar essa atitude, mas é o que a gente precisa fazer. Vocês podem falar se jogamos mal, jogamos bem, mas falar da vida pessoal de cada um a gente não vai tolerar", anunciou Messi.

Com a vitória, a seleção Argentina subiu para a quinta colocação das Eliminatórias, com 19 pontos. O próximo compromisso dos argentinos será somente no dia 23 de março de 2017, quando enfrentará o Chile.

Últimas de Esporte