Por pedro.logato

Portugal - O Real Madrid derrotou o Sporting por 2 a 1 nesta terça-feira, em Portugal, e garantiu uma das vagas do Grupo F às oitavas de final da Liga dos Campeões. Dominado durante boa parte dos 90 minutos e contando com um apagado Cristiano Ronaldo, o time espanhol tirou proveito da vantagem numérica após a expulsão de João Pereira e garantiu o triunfo em duas das poucas vezes que levou perigo.

Com o resultado, o Real se tornou a segunda equipe da chave a confirmar a vaga, dpois do Borussia Dortmund. Nesta terça, o time alemão goleou o Legia Varsóvia por 8 a 4, em casa, no confronto com maior número de gols da história da Liga dos Campeões nesta fase moderna.

Dortmund e Real agora disputarão a liderança da chave na última rodada, quando se enfrentarão em Madri, no dia 7 de dezembro. O time alemão tem 13 pontos, enquanto os espanhóis aparecem na sequência, com 11. Sporting, terceiro colocado com três, e Legia Varsóvia, com um, duelam na Polônia, no mesmo dia, para ver quem fica com a vaga na Liga Europa.

Real Madrid derrotou a equipe do SportingEfe

O JOGO

O Sporting começou sufocando o Real. Se não criava grandes oportunidades, dominava a posse de bola e o campo de ataque. Aos poucos, no entanto, o time espanhol passou a assustar nos contra-ataques, principalmente acionando Bale, até então o melhor jogador dos visitantes em campo.

Mas foi na bola parada, e contando com a sorte, que o Real abriu o placar. Aos 28 minutos, Modric cobrou falta da direita para a área. Cristiano Ronaldo tentou de primeira, mas não pegou em cheio. Só que o português acabou amortecendo a bola, que ficou para Varane encher o pé de esquerda e marcar.

Imediatamente, o Sporting foi para cima e criou duas boas chances antes do intervalo. Aos 31, Após linda jogada pela direita, Gelson Martins recebeu e rolou para trás. Adrien Silva deixou a bola passar e Bruno César finalizou para o gol, mas Sergio Ramos, no meio do caminho, tirou de cabeça. Pouco depois, o ex-jogador de Corinthians e Palmeiras cobrou falta da direita com muito perigo, rente à trave.

Foi o suficiente para o Sporting voltar a pleno vapor para a etapa final, ofensivo e dominando completamente o Real, que passou os primeiros 15 minutos sem sequer ir ao campo de ataque. A equipe portuguesa teve dois ótimos momentos, mas em ambos faltou alguém na área para desviar a bola para a rede.

Quando o Sporting era dono do jogo, João Pereira se desentendeu com Kovacic, o acertou na barriga e recebeu o cartão vermelho. Só que mesmo com um a menos, os portugueses mantiveram a postura ofensiva e, se não criavam grandes chances, foram premiados em lance bastante polêmico.

Aos 33 minutos, Campbell recebeu a bola na área e usou o braço para ajudar no domínio, antes de tentar o toque pela direita. Enquanto reclamava do lance, não marcado pela arbitragem, Coentrão ergueu os braços e a bola tocou neles. Aí sim, o juiz assinalou pênalti, que Adrien Silva cobrou com firmeza para empatar.

Corajoso, o Sporting ampliou a pressão, mesmo em desvantagem numérica. Campbell, que entrou no segundo tempo, chegou a ter duas boas chances, mas finalizou mal em ambas. E em uma ida esporádica do Real ao ataque, foi castigado. Sergio Ramos cruzou da direita e Benzema desviou de cabeça para a rede aos 41 minutos.

RECORDE EM DORTMUND

Na Alemanha, os 12 gols marcados na incrível goleada de 8 a 4 do Borussia Dortmund sobre o Legia Varsóvia quebrou o recorde de partida com maior número de gols na fase moderna da Liga dos Campeões, a partir de 1992. A marca anterior pertencia ao triunfo do Monaco sobre o Deportivo La Coruña por 8 a 3, em 2003.

E o Dortmund levou um susto no início, ao sofrer o primeiro logo aos nove minutos, quando Prijovic marcou belo gol. Kagawa, em duas escapadas, virou o placar aos 17 minutos. A avalanche de gols seguiu com o terceiro do Dortmund, aos 19, quando o goleiro Cierzniak errou na saída do gol, socou em Sahin e a bola voltou para a própria meta.

O mesmo Prijovic, mais uma vez, marcou outro belo gol para diminuir aos 23, mas já aos 28 foi a vez de Dembélé fazer o quarto dos alemães, em outro lindo lance. Depois de seis meses sem atuar, Marco Reus aproveitou assistência de Kagawa para marcar o quinto aos 31 e selar o placar do primeiro tempo.

Ele mesmo, no início da etapa final, fez o sexto. Kucharczyk, então, marcou o terceiro para os poloneses. O Dortmund fez o sétimo com Passlack, mas o Legia não desistia, e também respondeu rapidamente com Nikolic. Faltava um para o recorde isolado, e foi novamente Marco Reus o responsável por marcá-lo, já nos acréscimos.

Você pode gostar