Médicos revelam melhora de Neto e plano para transferir Ruschel para o Brasil

Três dos quatro sobreviventes estão acordados e a ideia é tirar Neto da sedação

Por O Dia

Colômbia - A junta médica da Chapecoense que está na Colômbia para acompanhar a recuperação dos quatro brasileiros sobreviventes na queda do avião da equipe apresentou nesta quinta-feira detalhes sobre as a recuperação dos pacientes. A principal novidade foi sobre o zagueiro Neto, dono do quadro mais preocupante, mas que começará a ter a sedação reduzida para que desperta.

O acidente aéreo nos arredores de Medellín completa dez dias. Três dos quatro sobreviventes estão acordados e a ideia é tirar Neto da sedação. "É o paciente que mais inspira cuidados. As medidas nas últimas 24h surtiram efeito importante. Conseguimos restaurar o padrão respiratório, começamos a diminuir a ventilação mecânica e estamos tranquilos", explicou o intensivista Edson Stakonski.

Neto teve evolução clínica nesta quinta-feiraDivulgação

O médico planeja nas próximas horas diminuir a carga de sedativos para que o defensor desperte. Neto foi o último a ser resgatado do local do acidente e apresentava uma grave infecção respiratória, agora já controlada. No hospital San Vicente também foi curada uma ferida na perna do jogador sofrida durante a queda da aeronave da LaMia.

Dos outros pacientes, o lateral Alan Ruschel é quem está no quarto, com a situação mais favorável. Os médicos já começam a planejar uma futura transferência dele ao Brasil para concluir o tratamento. "Está caminhando bem, sem nenhum sinal de infecção. Começamos a pensar numa transferência, mas ainda não temos data", disse Stakonski. Na quarta, o jogador gravou um vídeo em que caminhou e mandou recado aos fãs.

Os demais sobreviventes passaram por intervenções médicas importantes. O goleiro Follmann teve ampliada a área de amputação na perna direita. "A notícia animadora é que o plano iniciar era aumentar de 3cm a 4cm a amputação óssea, assim com a limpeza. Pela pouca presença de infecção, a parte óssea se recuperou, então tivemos de cortar menos, de 2,5 cm a 3 cm, mas ainda inspira cuidado", explicou o ortopedista Marcos André Sonagli.

Já o jornalista Rafael Henzel deixou nesta quinta a UTI para uma unidade de tratamento semi-intensiva. "Fizemos uma cirurgia no pé direito dele para colocar um dos dedos no lugar. Foi algo simples, com a colocação de dois pinos. A recuperação dele tem sido satisfatória", afirmou Sonagli. Como o paciente fraturou sete costelas, tem tido dificuldades para respirar.

Últimas de Esporte