Recordista mundial, Etiene avança em terceiro à semifinal dos 50m costas

Nadadora brasileira está em busca do bicampeonato

Por O Dia

Canadá - Etiene Medeiros está classificada à semifinal dos 50m costas no Mundial de Natação em Piscina Curta de Windsor, no Canadá, onde vai buscar o bicampeonato. Campeã em Doha (Catar), em 2014, ela foi a terceira mais rápida das eliminatórias da prova, nesta sexta-feira. Nos 50m borboleta, Nicholas Santos liderou.

Etiene Medeiros avança à semifinal dos 50m costasSatiro Sodré / SS Press / Divulgação

Recordista mundial com 25s67, Etiene passou longe do melhor dela nas eliminatórias. Fez 26s48, sendo mais lenta que a norte-americana Ali De Loof, que marcou 26s25, e que a australiana Emily Seebohm, com 26s43. Na quarta, De Loof havia batido o recorde norte-americano, com 26s12, ao abrir o revezamento 4x50m medley dos EUA.

Etiene volta a nadar à noite em Windsor em busca de uma vaga na final dos 50m costas, que será disputada no sábado à noite. Na quinta, ela ajudou o Brasil a ganhar a prata no revezamento 4x50m medley misto.

Outro medalhista do revezamento, Nicholas Santos foi o mais rápido das eliminatórias dos 50m borboleta, com 22s53, superando em nove centésimos o japonês Takeshi Kawamoto. O programa desta prova é o mesmo da de Etiene.

Nicholas, aos 36 anos, vai atrás da sua nona medalha em 12 anos de Mundiais de Piscina Curta. Nos 50m borboleta, prova que virou sua especialidade nesta década, ele ganhou ouro em 2012, em Istambul, e prata em 2014, em Doha. No Mundial de Natação de Kazan, no ano passado, também levou prata.

Também na manhã desta sexta-feira, Viviane Jungblut, estreantes em Mundiais, foi a 18.ª colocada das eliminatórias dos 400m livre, com 4min09s38, ficando distante da final.

O Brasil tem apenas 13 representantes no Mundial, depois de ter 16 atletas convocados. Guilherme Guido e Henrique Rodrigues pediram dispensa e Kaio Márcio perdeu o voo de Belo Horizonte para São Paulo e não viajou ao Canadá.

O cenário atual contrasta com o momento vivido pela natação brasileira dois anos atrás. Em 2014, o Brasil conquistou o título no quadro de medalhas e deixou a competição em Doha com sete medalhas de ouro, uma de prata, duas de bronze, dois recordes mundiais, dois recordes de campeonato e 22 novas marcas brasileiras e sul-americanas em piscina curta.

Últimas de Esporte