Após transferência ao Brasil, Ruschel e Henzel apresentam evolução

Vítimas do trágico acidente aéreo envolvendo a delegação da Chapecoense chegaram na madrugada desta quarta-feira

Por O Dia

Chapecó - A primeira noite em Chapecó (SC) dos sobreviventes do desastre aéreo na Colômbia com a Chapecoense foi tranquila, com evolução, alimentação adequada e boas perspectivas de alta. O Hospital Unimed divulgou na manhã desta quarta-feira o primeiro boletim médico depois da chegada do jornalista Rafael Henzel e do lateral Alan Ruschel. Os exames laboratoriais dos dois estão dentro da normalidade.

Alan Ruschel e Rafael Henzel estavam entre as seis vítimas que sobreviveram a queda do aviãoMontagem

Segundo o comunicado assinado pelas médicas Juliana Foresti, nefrologista, e Carolina Ponzi, infectologista e diretora hospitalar, a dupla será submetida a novos exames nesta quarta para monitorar a recuperação do acidente aéreo. Henzel e Ruschel chegaram ao hospital na noite de terça, após viagem de mais de nove horas desde Medellín, e desembarcaram conscientes, conversando com a família e acenaram para os torcedores na porta do hospital.

"Ambos estão muito bem, considerando a gravidade do acidente e a quantidade de lesões. É surpreendente a condição clínica em que estão, fora a questão psicológica, também muito boa. Eles não se queixam de dor, nem de desconforto. A chegada em Chapecó e a presença da família aliviou bastante a situação deles", disse Carolina em entrevista coletiva na manhã desta quarta.

O boletim médico diz que o jornalista apresenta traumatismo de tórax com contusão pulmonar, lesão complicada por uma pneumonia. Fora escoriações pelo corpo, ele tem fraturas no tornozelo direito e punho esquerdo e luxação nos dedos do pé direito. Esses membros serão analisados nesta quarta em tomografias e radiografias. Apesar dos problemas, Henzel se alimentou de forma adequada e apresentou estar equilibrado psicologicamente.

Ruschel está com uma fratura-luxação na 12.ª vértebra torácica e 1ª vértebra lombar, mais uma infecção urinária, que vai requerer uma ultrassonografia para acompanhar a evolução. O jogador se alimentou de forma adequada, tem repousado e sido medicado com antibióticos para combater o problema na bexiga.

Reportagem de Ciro Campos.

Últimas de Esporte