Tite elogia condição de veteranos chamados e exalta Robinho: 'Ele voltou voando'

Técnico destacou que o atleta do Atlético-MG seguirá servindo como opção a longo prazo para a seleção brasileira, apesar dos seus 32 anos de idade

Por O Dia

Rio - Sem poder convocar jogadores que atuam no exterior para o amistoso do próximo dia 25 de janeiro, contra a Colômbia, no Engenhão, no Rio, pois o confronto ocorrerá fora de uma data reservada pela Fifa para compromissos internacionais, o técnico Tite trouxe como principais novidades na lista de 23 nomes que anunciou nesta quinta-feira, na sede da CBF, os veteranos Robinho, do Atlético-MG, Diego, do Flamengo, e Diego Souza, do Sport.

Tite convocou 23 jogadores na manhã desta quinta-feiraPedro Martins / MoWA Press

Ao justificar a presença dos três jogadores, o comandante exaltou a boa condição física e técnica do trio, assim como rasgou elogios principalmente a Robinho, lembrando que o atacante evoluiu ao se tornar mais goleador do que no passado, quando era mais um driblador e preparador de jogadas que resultavam em bolas na rede. "Ele voltou voando", ressaltou o técnico, em entrevista coletiva, se referindo ao fato de que recebeu informações muito positivas do Atlético-MG sobre o atleta após o retorno do time aos treinos depois das férias.

Tite destacou que Robinho seguirá servindo como opção a longo prazo para a seleção brasileira, apesar dos seus 32 anos de idade e da forte concorrência por uma vaga no ataque do time nacional, que aumenta consideravelmente quando os jogadores que atuam no exterior também podem ser convocados.

"Se há um aspecto e um critério (para as convocações) é o de todos poderem estar presentes na seleção na sequência. Não vejo a idade como impeditiva, mas vejo desempenho, alto nível. O mais jovem é o Jorge (lateral do Flamengo chamado nesta quinta), de 20 anos, e o mesmo vale para o Robinho, de 32, que perfeitamente tem condições de continuar servindo à seleção brasileira", ressaltou Tite, abrindo as portas para a continuidade do atacante atleticano no time nacional, que ele já defendeu anteriormente nas Copas do Mundo de 2006 e 2010.

O treinador falou bem de Robinho ao ser questionado por um repórter sobre como foi chamar o atacante e também o meia Diego, do Flamengo, que fizeram história juntos com a camisa do Santos no Campeonato Brasileiro de 2002, quando eliminaram o então Grêmio de Tite nas semifinais. Na época, eles foram os dois grandes nomes daquele time que depois se tornaria campeão nacional ao bater o Corinthians na decisão.

"Você podia ter me feito a pergunta sem fazer essa lembrança. Saí com a cabeça desse tamanho", brincou o treinador, sorrindo e abrindo os braços, para em seguida justificar a convocação da dupla: "Muita qualidade técnica dos dois, eles mantêm. Por exemplo (isso ficou claro) quando o Atlético Mineiro disse que o Robinho voltou voando, na condição física, no peso. A gente planta, a responsabilidade, o nível técnico, ele foi dos jogadores goleadores que desenvolveu uma capacidade por tempo jogado, não por número de gols feito por partida. Robinho é o goleador do Atlético e foi o quarto do Brasileiro. Ele construiu a sua qualificação, o seu momento, virou um jogador fazedor de gol".

Robinho marcou 25 gols em 55 jogos pelo Atlético-MG em 2016, depois de ter sido contratado pelo clube após uma passagem frustrante pelo Guangzhou Evergrande, da China, em 2015. Diego, por sua vez, retornou para atuar no Flamengo no ano passado depois de deixar o Fenerbahçe, da Turquia, e ficar mais de uma década no futebol europeu.

"O Diego voltou, deu um up ao Flamengo muito grande em termos de criatividade. É um jogador de capacidade, que tem muita qualidade de passe, de assistência. Foram dois jogadores que para mim foram merecedores desta convocação", afirmou Tite ao falar do meio-campista do Flamengo e ao mesmo tempo de Robinho.

Já ao justificar a convocação de Diego Souza, que foi listado por Tite como atacante para o amistoso com a Colômbia, o treinador lembrou que o jogador, meia de ofício, brilhou no último Brasileirão atuando em uma posição mais ofensiva. Desta forma, terminou a competição como um dos maiores artilheiros, com 14 gols, ao lado de Willian Pottker, da Ponte Preta, e Fred, do Atlético-MG.

"Ele mostrou desempenho técnico, o Diego jogou todos as partidas pelo Sport, jogou como uma função um pouco mais adiantada, como um atacante, traduzindo isso em gols. Tem essa virtude e essa qualidade", elogiou Tite.

Últimas de Esporte