Felipão diz que Neymar derrubará Messi ou Cristiano Ronaldo em dois anos

Treinador concordou com a eleição da Fifa para melhor do mundo

Por O Dia

China - Campeão mundial à frente da seleção em 2002 e técnico do Brasil no 7 a 1 sofrido em casa diante da Alemanha na última Copa, em 2014, Luiz Felipe Scolari concedeu entrevista à Agência Efe na qual falou sobre a disputa entre Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, o crescimento de Neymar, o momento da seleção brasileira e o futebol chinês, entre outros assuntos. O treinador de 68 anos concorda com a eleição da Fifa, que coloca Cristiano como o melhor do mundo atualmente e Messi em segundo, mas acredita que Neymar pode entrar em breve nessa disputa. No entanto, ao ser perguntado qual deles está acima, preferiu fugir e lembrar seus comandados na conquista do penta.

Segundo Felipão, Neymar irá superar Messi em breveLucas Figueiredo / CBF / Divulgação

Agência Efe: Você treinou fenômenos como Cristiano Ronaldo, Neymar... Com quem você ficaria?

Felipão: Ficaria com Rivaldo, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho... Tudo com "R". O que tiver "R". Roberto Carlos também (risos). Efe: Cristiano Ronaldo é o melhor jogador do mundo? Felipão: Eu diria que Cristiano Ronaldo e Messi disputam sempre, palmo a palmo, o título de melhor do mundo, mas daqui a dois anos eu colocaria Neymar nesse nível e possivelmente já começando a destronar um dos dois, porque Neymar também é um dos fenômenos com os quais trabalhei.

Efe: Neymar ainda vai conquistar a Bola de Ouro?

Felipão: Sim, acredito sim, mas ainda não vai ser neste próximo ano. Efe: Em sua equipe dos sonhos Cristiano Ronaldo e Messi estariam escalados? Felipão: Depende. Eles têm características totalmente diferentes. Cristiano Ronaldo é o melhor jogador do mundo porque ele se faz o melhor do mundo, ele se constitui como melhor do mundo, ele treina para isso e se dedica a isso de uma forma diferente à de qualquer jogador. Messi não, Messi é a simplicidade de jogar futebol, é o gênio puro. Ronaldo é uma situação que ele se impõe; Messi, acredito que não se impõe.

Efe: O que você acha do Brasil de hoje, o de Tite?

Felipão: Bom. O Brasil de hoje, o Brasil de Tite jogou muito bem, tem identidade com o técnico, tem identidade com o público e com o país, e é uma seleção que tem que ser respeitada dessa maneira. Efe: Em nível de treinadores, de quem você gosta, Zidane, Guardiola, Mourinho...? Felipão: Zidane está começando, é preciso esperar. Ele tem currículo como jogador, foi espetacular, e está fazendo um grande trabalho. Alguns já têm o trabalho feito, como Mourinho, Guardiola, Ancelotti e Del Bosque. Aliás, é uma pessoa de quem gosto muito, é um amigo.

Luiz Felipe Scolari comandou o Brasil em duas Copas do MundoEfe

Efe: Qual você prefere, o estilo de Guardiola ou o de Mourinho?

Felipão: Depende dos jogadores que estiverem à disposição. Com um técnico, há jogadores que crescem, e com outro, embora tenha grande conhecimento, não dá muito certo. Depende dos jogadores que se tem para poder aplicar seu método de treino, mas hoje não existe só um método. E, se você for inteligente, usa o método mais perfeito para as condições do clube em que você estiver.

Efe: E se você tivesse que escolher entre treinar Real Madrid e Barça?

Felipão: Vejo o jogo do Real Madrid diferente do jogo do Barça. O Barcelona com Luis Enrique continua fazendo um futebol cadenciado, bem jogado. Mudou nos últimos dois anos com Suárez, Messi e Neymar. O Real Madrid mudou com Zidane, tem outra forma de jogo. Neste momento, se fosse convidado para alguma dessas equipes, penso que o Real Madrid se assemelharia mais a meu estilo que o Barcelona.

Efe: O que você acha da seleção de Portugal atual?

Felipão: Portugal finalmente é campeão. Eu não consegui ser campeão com Portugal, perdemos o último jogo em casa. Fernando (Santos) foi campeão com Portugal na França, foi espetacular. Eu vivi essa conquista porque assisti à partida. Gostei muito. Fernando é uma pessoa muito simpática, muito boa. Mereceu. Ronaldo fez um trabalho de recuperação física que nenhum jogador faria para estar em condições na Eurocopa, e na final, mesmo assim saiu lesionado.

Efe: Que título você gostaria de conquistar? Felipão: Agora, no final da carreira, quero continuar fazendo o papel de bom técnico, que deixa legado em seus clubes, que deixa um caminho a ser seguido pelos jogadores, pelas equipes. Efe: Agora, sobre a China. Não é um pouco loucura essas contratações multimilionárias?

Felipão: "Não é que seja uma loucura, é uma questão de procedimento do governo e dos clubes. Eles entendem que devem desenvolver o futebol para a população, e aí vêm as contratações bombásticas. Mas já estão fazendo alguns ajustes no futebol na China que, nos próximos dez ou 15 anos, será uma das grandes potências.

Efe: Estão sendo feitas algumas contratações de estrangeiros, e falou-se da possibilidade de Pepe ira para sua equipe, o Guangzhou Evergrande.

Felipão: Minha equipe tem grandes jogadores, temos quatro estrangeiros. Agora com as mudanças da Federação, só pode haver três estrangeiros em um jogo. Os asiáticos, por exemplo coreanos ou japoneses, são considerados estrangeiros. Tenho quatro estrangeiros, três brasileiros e um colombiano, e tenho dois coreanos. Tenho seis jogadores, só três podem jogar. Temos de tirar três e não podemos comprar mais. Efe: Mas se houvesse possibilidades, Pepe seria uma opção? Felipão: "É um grande jogador. Quando estive na seleção de Portugal foi uma das indicações minhas à Federação e recebeu a cidadania portuguesa. Mas insisto, minha equipe não pretende contratar nenhum estrangeiro, os que tenho são os melhores estrangeiros da Ásia, pelo menos em resultados, portanto não preciso de ninguém.

Últimas de Esporte