Após fracassar na Austrália, Murray fica fora de convocação britânica para Davis

Ausência do tenista escocês do confronto diante dos canadenses, porém, ainda não é definitiva. O jogador poderá ser incluído de último hora

Por O Dia

Inglaterra - Depois de cair de forma surpreendente nas oitavas de final do Aberto da Austrália, onde foi eliminado pelo azarão alemão Mischa Zverev, o 50º colocado do ranking da ATP, no último domingo, Andy Murray ficou fora nesta terça-feira da convocação da Grã-Bretanha para duelo diante do Canadá, entre os dias 3 e 5 de fevereiro, fora de casa, em Ottawa, pela primeira rodada do Grupo Mundial da Copa Davis.

Murray perdeu nas oitavas de final do Aberto da Austrália para o azarão alemão Mischa ZverevEFE/Filip Singer

O capitão da equipe britânica, Leon Smith, justificou a ausência do líder do ranking mundial do tênis porque o mesmo precisa descansar após uma grande sequência de partidas que se acumulam desde o ano passado.

Antes de cair em Melbourne, Murray havia avançado à decisão do Torneio de Doha, onde foi superado pelo sérvio Novak Djokovic após uma sequência incrível de 28 vitórias consecutivas no circuito profissional, retrospecto que lhe deu os títulos dos últimos cinco torneios que disputou até a competição no Catar: o ATP 500 de Pequim (China), o Masters 1000 de Xangai (China), o ATP 500 de Viena (Áustria), o Masters 1000 de Paris (França) e o ATP Finals, em Londres (Inglaterra).

A ausência de Murray do confronto diante dos canadenses, porém, ainda não é definitiva. Leon Smith revelou, em entrevista coletiva nesta terça, que o jogador poderá ser incluído de última hora na convocação caso manifeste desejo de atuar nesta primeira rodada do Grupo Mundial. Isso dependerá da recuperação física do atleta, pelo que deu a entender o capitão britânico.

"Nós continuaremos a falar com Murray nos próximos dias considerando o seu potencial envolvimento e, se ele decidir fazer parte da equipe, nós podemos, é claro, mudar os convocados conforme for necessário", afirmou Smith.

Sem Murray à disposição neste momento, o capitão britânico chamou Kyle Edmund (46º colocado da ATP) e Daniel Evans (51º) para as partidas de simples, além de Jamie Murray e Dominic Inglot para o duelo de duplas com os canadenses.

Se a Grã-Bretanha não deverá contar com Murray, a França confirmou nesta terça-feira a sua segunda baixa de peso para o duelo contra o Japão, fora de casa, em Tóquio, também pelo Grupo Mundial da Davis entre os dias 3 e 5 de fevereiro. Após Jo-Wilfried Tsonga ser descartado do confronto por razões familiares (ele ficará ao lado da sua esposa, que está grávida e prestes a dar à luz ao primeiro filho do casal), agora Gael Monfils foi descartado do duelo diante dos japoneses

A ausência de Monfils, porém, não é por motivo de lesão. Atual número 6 do ranking mundial e número 1 do seu país, ele é visto hoje pelo capitão Yannick Noah como sem motivação para defender a França na Davis. Para o lendário ex-tenista francês, que chamou Monfils está mais preocupado com seus objetivos pessoais

Eliminado por Rafael Nadal nas oitavas de final do Aberto da Austrália, Monfils também tem uma relação com Noah um pouco complicada. Em setembro do ano passado, o capitão francês criticou o tenista por ter desistido de jogar a semifinal da Davis contra a Croácia na última hora. Antes disso, no início de 2016, Monfils criticou publicamente a decisão do treinador de jogar a primeira rodada da competição na ilha de Guadalupe, questionando a escolha da sede por causa de problemas de logística que envolviam o deslocamento até a remota localidade no Caribe francês.

"Ele (Monfils) fez a sua melhor temporada no ano passado, mas jogou apenas uma partida de simples (na Davis) no confronto em Guadalupe", afirmou Noah, em entrevista coletiva nesta terça, na qual depois ainda alfinetou: "Nas quartas de final, ele não estava disponível para jogar, mas ganhou um torneio uma semana depois. E não pôde jogar nas semifinais logo após alcançar as semifinais do US Open".

Sem Monfils nas semifinais contra a Croácia, a França caiu por 3 a 2 na série melhor de cinco partidas entre os dois países. Agora, sem os seus dois principais tenistas no ranking, Noak convocou Richard Gasquet e Gilles Simon para os duelos de simples, enquanto Nicolas Mahut e Pierre-Hugues Herbert foram chamados para o jogo de duplas.

Quem levar a melhor neste confronto enfrentará nas quartas de final quem ganhar o duelo entre britânicos e canadenses. E, se Murray realmente não disputar este último embate, a principal estrela da primeira rodada do Grupo Mundial da Davis em 2017 será Novak Djokovic, atual vice-líder do ranking mundial.

Ele teve o seu nome oficialmente confirmado nesta terça-feira para o duelo no qual a Sérvia enfrentará a Rússia, em casa, também entre os dias 3 e 5 de fevereiro. O novo capitão Nenad Zimonjic, que também segue sua carreira de tenista e se convocou para atuar ao lado de Dusan Lajovic nas duplas contra os russos, ainda chamou Viktor Troicki para as partidas de simples.

Últimas de Esporte