Mancha Verde encerra atividades após fundador ser executado em São Paulo

Moacir Bianchi, ex-presidente da torcida, morreu a tiros enquanto dirigia

Por O Dia

São Paulo - Uma das torcidas organizadas mais tradicionais do Brasil encerrou suas atividades nesta quinta-feira. A Mancha Verde, composta por torcedores do Palmeiras, perdeu Moacir Bianchi, um de seus fundadores, e decidiu fechar as portas por tempo indeterminado.

O ex-presidente da organizada foi assassinado na madrugada desta quinta-feira, em São Paulo. Aos 48 anos de idade, Moacir Bianchi foi alvejado enquanto dirigia seu carro particular. Segundo informações da polícia paulista, ao menos oito marcas de bala foram encontradas no veículo.

Em nota oficial divulgada nesta quinta, a Mancha Alviverde se pronunciou a respeito do acontecido, lamentando profundamente a morte do seu fundador e anunciou que encerrou suas atividades.

Ex-presidente da Mancha Verde foi assassinadoReprodução / Facebook

Confira a nota na íntegra:

"Hoje recebemos a triste notícia que nosso fundador e ex-presidente Moacir Bianchi, foi encontrado morto.

Não temos palavras para descrever o que sentimos nesse momento. Uma pessoa que tanto lutou para que a Mancha Verde pudesse se tornar uma grande torcida, e para que a torcida do Palmeiras fosse respeitada. Moacir fez da Mancha Verde a sua vida.

Seu nome está escrito em nossa história e jamais será apagado.

Que Deus possa confortar toda sua família e receba nosso fundador em um bom lugar.

LUTO - MOACIR BIANCHI

Informamos também que em meio a diversos problemas que a torcida vem passando, e em cima dessa notícia de uma morte que deixou todos nós da torcida completamente abalados, comunicamos a todos os associados que a torcida Mancha Alviverde, após 34 anos de fundação, está encerrando suas atividades por tempo indeterminado.

Obrigado a todos que até aqui ajudaram a construir o nome da Mancha Verde."

Últimas de Esporte