Após punição pesada, Messi escreve carta à Fifa e pede desculpas por ofensas

Jogador pegou um gancho de quatro jogos após desentendimento com um auxiliar brasileiro e se justificou dizendo que não o xingou. Craque argentino pediu ajuda ao pai para ajudar em sua defesa junto à entidade

Por O Dia

Barcelona - A polêmica envolvendo o gancho pesado que Lionel Messi recebeu está virando novela. Nesta quinta-feira, o craque argentino se defendeu em uma carta enviada ao Comitê Disciplinar da Fifa afirmando que não xingou o bandeirinha brasileiro Emerson Carvalho na partida entre Argentina e Chile, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Por conta do ocorrido, o jogador pegou uma suspensão de quatro jogos.

Messi foi suspenso e está fora de quatro jogos das eliminatórias para a Copa do Mundo na Rússia em 2018EFE/NICOLÁS AGUILERA

"Minha postura é apoiada pelo meu legado de conduta, ao longo da minha carreira, que é irrepreensível, não tendo praticamente expulsões em todo o tempo como jogador de futebol profissional, tanto pelo meu clube, como em minha seleção. Em qualquer caso, nunca por ofensas como as descritas neste expediente", escreveu o craque do Barcelona.

"Os vídeos estão editados e não podem comprovar sua veracidade, não mostram em nenhum momento que tenha existido uma ofensa da minha parte ao assistente 1, nem uma conduta lesiva do código disciplinar da Fifa. Algumas das minhas palavras ditas jamais foram dirigidas a sua pessoa, mas foram jogadas ao ar, e obviamente peço desculpas por isso", continuou.

O camisa 10 afirmou ainda que apenas conversou com Emerson Carvalho e que tudo foi 'de forma amigável' sem 'ter ofendido ou insultado o árbitro'. "Prova esta situação que o assistente jamais chamou o árbitro principal para me advertir por conta da minha conduta", encerrou.

Segundo o periódico espanhol 'Mundo Deportivo', Messi pediu ajuda ao pai, Jorge Messi, para cuidar de sua defesa junto à Fifa.

Últimas de Esporte