Mais Lidas

Mundial de Clubes: carta da Fifa reabre polêmica sobre títulos

Ministério do Esporte do Brasil recebeu documento enviado pela entidade máxima do futebol em 2013 declarando o Palmeiras como primeiro campeão mundial, por conta do título Copa Rio de 1951

Por luis.araujo

Rio - A polêmica sobre o Mundial de Clubes de Futebol voltou à tona essa semana. Em janeiro deste ano, a Fifa declarou que só chancela oficialmente como campeões mundiais aqueles clubes que participaram dos torneios organizados por ela, no caso de 2000 até agora. No entanto, declara reconhecer e valorizar as iniciativas que não partiram dela para definir campeões.

Zico carrega o troféu da conquista da Copa Intercontinental de 1981Reprodução Internet

A polêmica ressurgiu essa semana quando foi revelado pelo 'Fox Sports' que o Ministério do Esporte do Brasil recebeu um documento enviado pela própria Fifa em 2013. A carta foi endereçada ao então ministro do Esporte Aldo Rebelo e foi assinada pelo ex-secretário geral da entidade, Jérôme Valcke. Nele, a Fifa declarava o Palmeiras como primeiro campeão mundial, por conta do título Copa Rio de 1951. Na época, o órgão afirmou que a competição foi a primeira Copa do Mundo de clubes.

A posição atual da Fifa, presidida pelo suíço Gianni Infantino, de não reconhecer os títulos antes de 2000, contradiz a carta e reacende o polêmico assunto.  

Sendo assim, Palmeiras (campeão da Copa Rio de 1951), Flamengo (1981), Grêmio, Santos (1962 e 1963) e São Paulo (1992 e 1993) não entram na galeria de campeões mundiais reconhecidos pela entidade máxima do futebol.

“A FIFA reconhece e valoriza as iniciativas para estabelecer competições de clubes mundiais ao longo da história. É o caso de torneios envolvendo clubes europeus e sul-americanos, como a pioneira Copa Rio, disputada em 1951 e 1952, e a Copa Intercontinental. No entanto, foi só em 2000 que a FIFA organizou a primeira Copa do Mundo de Clubes da FIFA, com representantes de todas as seis confederações. Os vencedores desta competição, que se realiza anualmente a partir de 2005, são considerados oficialmente pela FIFA como os campeões mundiais, disse em comunicado. Como se pode perceber, a posição atual não é a mesmo de quatro anos atrás.

Entenda a diferença das competições

A Copa Intercontinental foi criada em 1960 em comum acordo entre as confederações da América do Sul e da Europa, sem participação da Fifa. Em certo período, foi disputada em dois jogos, ida e volta, e posteriormente decidida apenas em jogo único, no Japão, com patrocínio da montadora japonesa Toyota, que passou a dar nome ao torneio. Foi disputada de 1960 a 2004.

Apesar da ausência da entidade máxima do futebol na realização do torneio e de ganhadores continentais fora do eixo América do Sul e Europa, como Ásia, África e Concacaf, os clubes vencedores sempre se autoproclamaram como campeões mundiais, sobretudo os sul-americanos. Apesar da ausência da chancela da Fifa, imprensa e torcedores dos países sul-americanos sempre consideraram o vencedor do torneio como o campeão global do ano.

Real Madrid, Milan, Manchester United, Inter de Milão, Bayern de Munique e São Paulo foram os únicos clubes que ganharam os dois torneios: Copa Intercontinetal e o Mundial de Clubes organizado pela Fifa. Os cinco times europeus, na galeria de títulos em seus sites oficiais, distinguem as duas competições em nomes diferentes: Mundial de Clubes da FIFA a Copa Intercontinental, não contabilizando as duas como um mesmo título.

Já o São Paulo, único clube da América do Sul a vencer as duas, coloca seus três títulos (2 Intercontinentais e 1 Mundial de Clubes da FIFA) todos como conquistas de título mundial, chamando de “Mundial Interclubes” os três títulos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia